26.11.2017 | 07h50


MATANÇA ANUNCIADA

Vítimas denunciaram crimes três anos antes de serem executadas em chacina

A chamada Linha 15, localizada na Vila Taquaroçu do Norte, em Colniza, foi palco de conflitos violentos muito antes da chacina de 9 homens que ganhou repercussão nacional.


DA REDAÇÃO

Três anos antes da chacina que ocorreu no mês de abril, em Taquaroçu do Norte, em Colniza (a 1.065 km de Cuiabá), as vítimas da matança já denunciavam crimes sofridos na região.

A informação consta nos autos do processo do caso. O documento salienta que ainda em 2014, as nove vítimas assassinadas em 2017, já denunciavam incêndios criminosos, cárcere privado, dentre outros crimes.

Conforme o processo, “no dia 14/10/2014 foram noticiados crimes de incêndio, constrangimento Ilegal, cárcere privado e associação criminosa, no mesmo local dos presentes fatos, Linha 15, que faz limites com a Cooperoosevelt, tendo inclusive relatos de vítimas dos homicídios abaixo descritos. Em 05/11/2014 Valmir Rangel do Nascimento declarou que temia pela sua vida e pela vida de sua família”.

Os autos demonstram auto grau de crueldade. No dia da chacina, Valmir teve as mãos amarradas para trás, foi torturado e degolado. O corpo dele foi localizado pelos investigadores jogado em uma mata na região.

Reprodução

assassinos colniza.jpg

Moisés Ferreira, Paulo Neves Nogueira, Pedro Ramos Nogueira e Ronaldo Dalmoneck são acusados pelo crime.

A chacina

Segundo as investigações, a motivação da “Chacina de Taquaruçu do Norte” está diretamente ligada à disputa de terras para extração de madeira e minério.

São réus no processo: Pedro Ramos, Paulo Neves, Ronaldo Dalmoneck e Moisés Ferreira. Todos são acusados de integrar um grupo de extermínio denominado “os encapuzados”. Os integrantes do bando são conhecidos na na região de Colniza como “guachebas”, ou matadores de aluguel, que teriam sido contratados por Valdelir João, com a finalidade de praticar crimes.

Além de Valmir, no dia da chacina os guachebas foram até a Linha 15, com armas de fogo e arma branca, onde executaram Francisco Chaves da Silva, Edson Alves Antunes, Izaul Brito dos Santos, Alto Aparecido Carlini, Sebastião Ferreira de Souza, Fábio Rodrigues dos Santos, Samuel Antonio da Cunha, Ezequias Satos de Oliveira. A linha 15 compõe a localidade de Taquaruçu do Norte (zona rural a 230 Km de Colniza).

 

Leia mais

Famílias de nove executados querem indenização de R$ 2,4 milhões

Dono de madeireira ordenou chacina para explorar terra com ouro

Famílias buscam por homens que desapareceram ao fugir de matadores

Um mês após a chacina que vitimou 9, moradores temem novo ataque

Rogers garante prisão de envolvidos em torturas e execuções

Segurança Pública já teria nomes de mandantes da chacina de Colniza

Politec identifica as 9 vítimas da chacina em Colniza; veja nomes

Corpos das nove vítimas da chacina chegam em Colniza

Após chacina em Colniza, coveiro se antecipa e abre novas covas

Bope reforça policiamento e 'caça' envolvidos em chacina em Colniza











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO