21.04.2017 | 07h40


SEXO COM ANIMAIS

Vídeo de 'estupro' de cadela seria pedido de grupo de zoofilia; rede é investigada

Hemerson Pedroso fez em Cuiabá vídeo que chocou população e seria encomenda de grupo que dissemina material semelhante nas redes sociais


DA REDAÇÃO

As investigações da Delegacia Especializada do Meio Ambiente (Dema) apontam que um grupo de pelo menos quatro pessoas, de várias cidades, estavam produzindo conteúdo de zoofilia – envolvimento sexual de humanos com animais – e distribuindo entre si.

A afirmação foi feita pelo delegado Gianmarco Paccola ao , a respeito do vídeo do estudante Hemerson Fernandes Pedroso, que aparece fazendo sexo com uma cadela. A gravação se espalhou pelas redes sociais e revoltou a população mato-grossense.

A Polícia Civil representou pela prisão de Emerson na quinta-feira (20). Buscas foram realizadas em endereços onde o criminoso possivelmente estaria, mas ele não foi localizado e está foragido.

Conforme o delegado, o vídeo foi gerado com o objetivo de ser compartilhado em um grupo específico, que tem interesse em zoofilia. Paccola afirma que há pelo menos outras três pessoas envolvidas no caso, que podem responder por formação de quadrilha.

“Esses outros integrantes se qualificam na coautoria ou em participação direta, fomentando, instigando e auxiliando essas práticas. O fato se configura em uma associação criminosa”, ressalta o delegado.

“Esses outros integrantes se qualificam na coautoria ou em participação direta fomentando, instigando e auxiliando essas práticas. Nesse sentido o fato se configura em uma associação criminosa, um quadrilha”, ressalta o delegado.

Conforme as investigações, essa troca de conteúdo era feita em um grupo fechado, em ambiente virtual.

“Sabemos que há pessoas de outras regiões também. Escutamos de algumas pessoas que os integrantes do grupo moram em outras cidades, talvez sejam até de fora do Estado. Isso porquê o ambiente favorece essa possibilidade”, afirma Paccola.

Até o momento, as investigações apontam que só cachorros foram vítimas da ação dos criminosos. Em um trecho do vídeo, Hemerson diz o seguinte: “Para vocês que ainda não viram meu vídeo”.

Conforme o delegado, essa frase demostra a reiteração do criminoso, o que afirma não ser a primeira vez que o ato acontece.

“Sabemos que há pessoas de outras regiões também. Escutamos de algumas pessoas que os integrantes do grupo moram em outras cidades, talvez sejam até fora do Estado", afirma o delegado.

Caso sejam presos, o grupo de zoófilos respondera pelos crimes de maus-tratos e associação criminosa. Hemerson já foi indiciado pelos crimes praticados.

Por questões éticas, apenas o áudio do vídeo está sendo vinculado nessa reportagem. Confira o áudio com os dizeres do criminoso, ressaltados pelo delegado.

 

Ouça

 

 

O caso

Hemerson Fernandes publicou em sua página do Facebook, um vídeo fazendo sexo com uma cadela dentro de um banheiro, supostamente na casa onde mora no Jardim Industriário, em Cuiabá. O vídeo foi gravado pelo próprio "estudante".

Nas imagens, é possível ver que Hemerson  elogia a “atuação” da cadela e ainda afirma que o animal está no cio (período que se prepara para procriar).

Estudante 'faz sexo' com cadela e põe vídeo no Facebook; caso gera revolta

 











(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Amosil   21.04.17 14h22
As violências sexuais contra meninas crianças, não dá tanta repercussão como desse caso.... Pais hipócrita.. FALSO MORALISTA...

Responder

9
27

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER