16.04.2018 | 08h40


SUSPEITA DE EMBRIAGUEZ

Empresária atropela crianças e foge sem prestar socorro em Cuiabá

A mulher se entregou posteriormente à polícia, alegando que se sentiu ameaçada por algumas pessoas no local do atropelamento.


DA REDAÇÃO

A empresária e instrutora de pilates, Rejane Zila Caldas, 48 anos, atropelou duas crianças no bairro Porto e fugiu sem prestar socorro, na noite de domingo (16). Ela estaria bêbada teria se escondido no condomínio Residencial Ipiranga II, na região, após testemunhas se revoltarem com o caso.

O atropelamento aconteceu às 18h30, quando a empresária dirigia seu Ford Fiesta na Avenida José Feliciano de Figueiredo, próximo ao condomínio Residencial Ipiranga II e atropelou duas crianças ao fazer o retorno.

Uma das vítimas teve apenas escoriações e outro menino, de 13 anos, precisou ser socorrido e encaminhado para o Pronto-Socorro de Várzea Grande.

Após o acidente, a empresária fugiu sem prestar socorro e se escondeu no condomínio. As polícias Militar e Civil entraram no local após os moradores indicaram onde o carro dela estava estacionado.

Foram realizadas buscas em vários apartamentos do bloco. Um apartamento chegou a ter a porta arrombada, porém, a mulher não foi localizada.

Após algumas horas, a empresária ligou para a polícia, afirmando que se entregaria. Ela foi encaminhada para a Central de Flagrantes (Cisc), no bairro Planalto, onde realizou o teste do bafômetro e foi comprovada a ingestão de álcool.

Em sua defesa, a empresária disse que tentou socorrer a criança imediatamente, porém, se sentiu intimidada por algumas testemunhas que a cercaram no local e por isso fugiu.

O caso é acompanhado pela Delegacia Especializada de Delitos de Trânsito (Deletran), que registrou a ocorrência como lesão corporal culposa na direção de veículo.

Atropelamento no trânsito

Na noite anterior, a médica Letícia Bortolini, 37 anos, foi presa após matar atropelado o vendedor de verduras Francisco Lúcio Maia e fugir sem prestar socorro, na Avenida Miguel Sutil, no bairro Cidade Verde, em Cuiabá.

Informações da Polícia Civil dão conta que Letícia e o seu marido, também médico, Aritony de Alencar Menezes, 37 anos, seguiam pela avenida quando atropelaram, com o veículo Jeep Compass, conduzido pela médica, o vendedor que tinha atravessado a pista e tentava subir com seu carrinho de verduraa no canteiro central.

Leia mais

Casal de médicos mata vendedor atropelado e foge sem prestar socorro

Juíza aponta personalidade criminosa e mantém prisão de médica que matou verdureiro











(2) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Admir Gomes  16.04.18 13h12
Mulherada tá cachaceira demais superando homens, depois reclamam que C... de bêbada não tem dono

Responder

3
7
Celso  16.04.18 10h41
Daqui a pouco estão na rua rindo das vítimas tem dinheiro pagam fiança e pronto á lei seca só vale para pobre que não paga a fiança por não ter dinheiro ai falam assim á lei foi cumprida. só na vida do pobre tem por na cadeia esses monstro do trânsito assassinos.cadeia neles

Responder

16
0

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER