22.03.2019 | 14h20


QUASE R$ 1 BILHÃO

Empréstimo internacional pode regularizar salários dos servidores

Governo do Estado tenta vender dívida pública de quase R$ 1 bilhão para Banco Mundial


DA REDAÇÃO

O empréstimo de US$ 250 milhões (cerca de R$ 945 milhões) solicitado pelo Governo do Estado ao Banco Mundial vai ajudar a regularizar os salários do servidores. A afirmação é do governador Mauro Mendes (DEM) e do secretário de Fazenda, Rogério Gallo.

Conforme as projeções da equipe econômica do Governo, o empréstimo vai gerar um refinanciamento da dívida do Estado, de R$ 1 bilhão, o que proporcionará um alívio de caixa de R$ 763 milhões nos próximos quatro anos.

“O alívio de caixa será usado para a melhoria de performance do Estado no adimplemento, ou seja, no cumprimento de suas obrigações, seja no pagamento aos fornecedores,  aos servidores, bem como na implementação das políticas sociais do Governo”, destacou Mauro Mendes em entrevista coletiva sobre o assunto, na última quarta-feira (20).

“O alívio de caixa será usado para a melhoria de performance do Estado no adimplemento, ou seja, no cumprimento de suas obrigações, seja no pagamento aos fornecedores, aos servidores, bem como na implementação das políticas sociais do Governo”, destacou Mauro Mendes.

O secretário Gallo reforçou que o dinheiro extra pode ajudar na meta do Governo, que é trazer, ainda neste ano, o salário dos servidores para ser pago integralmente  no dia 10 do mês subsequente. Atualmente, os trabalhadores recebem de forma parcelada. “No ano que vem o nosso esforço será no sentido e reencaixar os salários no mês trabalhado”.

“Vai ajudar com toda certeza [regularizar os salários]. Não é a única ação, mas uma das ações reestruturantes para que a gente volte a ter condições de pagar o servidor em dia”, completou Gallo.

O gestor  ponderou, no entanto, que o alívio no caixa não é de imediato, e os R$ 763 milhões irão fazer a diferença nos cofres públicos ao longo de quatro anos.

“Isso ao lado de outras medidas que tomamos, em relação ao incremento de receita, e controle da despesa, permitirá que o Estado chegue a uma situação de equilíbrio, com toda certeza até 2021 ou até mesmo no final de 2020”, reforçou.

Acrescentou que também vai melhorar a condição do Estado para o pagamento dos fornecedores, “que não irão receber com mais de quatro meses de atraso”, como ocorre atualmente.

Empréstimo

O empréstimo junto ao Banco Mundial é para pagar a dívida deixada pelo ex-governador Silval Barbosa  (2010-2014), que buscou um financiamento junto ao Bank Of America para tocar as obras da Copa do Mundo de 2014, ocasião em que Cuiabá foi uma das cidades sedes do evento.

Em 2012, a dívida foi renegociada em US$ 478, 9 milhões. Em setembro de 2022, quando for paga a última parcela, o Estado já vai ter desembolsado U$$ 673,7 milhões.

O atual Governo considera o valor exorbitante e para evitar o pagamento resolveu vender a dívida ao Banco Mundial.

Se a nova operação de crédito der certo – pois precisa da autorização da Assembleia Legislativa e depois da Secretaria do Tesouro Nacional – o Estado vai conseguir quitar integralmente a dívida com o Bank Of America até setembro deste ano.

A partir disso, o Estado começaria a pagar o empréstimo ao Banco Mundial nos próximos 20 anos, com parcelas e juros mais baixos.

Leia mais

Gallo terá que convencer deputados a liberarem empréstimo de R$ 945 milhões

Mauro pede aval da Assembleia para emprestar R$ 1 bilhão

 

 

 

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Matéria(s) relacionada(s):

Enquete

R$ 65 MILHÕES

Você é a favor ou contra o corte de Bolsonaro no orçamento da UFMT e IFMT?

Sim, só produzem baderna

Não, vai piorar o nível dos cursos

Sim, a maior parte do gasto é com altos salários de servidores

Não, deveria aumentar os investimentos

  • Parcial

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER