23.12.2016 | 14h46


DEPOIMENTO AO GAECO

Empresário diz que delator agia como 'office boy' de ex-secretário

Alan Malouf contou ao Gaeco que Guizardi não estava satisfeito com a postura de Permínio, dentro da organização criminosa


DA REDAÇÃO

Em depoimento ao Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), no último dia 17, o empresário Alan Malouf disse aos promotores que o empresário Giovani Guizardi – delator da Operação Rêmora – era uma espécie de "office boy" do ex-secretário de Estado de Educação, Permínio Pinto.

Segundo Alan – que é apontado como um dos chefes do esquema que desviou R$ 1,2 milhão em contratos de obras da Secretaria de Educação do Estado –, Guizardi reclamou de sua posição no âmbito da organização criminosa.

“Giovani chegou a reclamar que Permínio estava achando que ele seria seu office boy, pois, frequentemente, pedia favores, como fazer pagamentos de contas, depósitos, entre outros serviços”, disse o empresário, no depoimento.

Alan revelou ainda que, no fim do ano passado, antes de viajar, Giovani pediu ao empresário que fizesse o serviço “oficce” ao ex-secretário. O delator teria que entregar um envelope que, segundo o depoimento, continha dinheiro de propina.

“Em dezembro, Giovani pediu para [Alan] entregar um envelope a Permínio e que, possivelmente, esse dinheiro era parte de Permínio no esquema”, diz trecho do documento.

O pedido foi atendido por Alan e a entrega ocorreu em uma de suas empresas, em Cuiabá.

O empresário Alan Malouf está preso desde do dia 14, no Serviço de Operações Especiais (SOE), da Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), no bairro Centro América, na capital.

Malouf foi detido após o empreiteiro Giovani Guizardi fazer acordo de delação premiada com o MPE, depois de ficar sete meses na cadeia, e citar o empresário como o principal nome do esquema de fraudes.

Segundo ele, 50% da propina arrecadada eram entregues a ele e o restante, dividido com o presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, deputado estadual Guilherme Maluf (PSDB).

Na delação, Guizardi, que é dono da Construtora Dínamo, também afirmou que Alan Malouf teria doado R$ 10 milhões à campanha do governador Pedro Taques (PSDB), em 2016.

Veja trecho do depoimento de Alan Malouf ao Gaeco:

Depoimento
 










(2) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Marlene   23.12.16 15h35
Misericórdia,!!!!!

Responder

0
1
Marlene   23.12.16 15h34
Misericórdia,!!!!!

Responder

1
0

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER