22.10.2010 | 11h01


POLÍCIA

Em uma semana, duas mortes por dia na Capital; imprudência é a causa



Raquel Ferreira
Da Redação

Mais de uma pessoa morreu por dia no trânsito de Cuiabá e Várzea Grande na última semana. Em 6 dias, foram 11 óbitos. De janeiro a setembro, as 2 cidades contabilizam 2.017 feridos e mais de 100 óbitos. Todos por acidente de moto, carro ou atropelamento. O desrespeito as leis de trânsito é apontado como a principal causa dos números de vítimas.

O comandante do Batalhão de Trânsito Urbano e Rodoviário da Polícia Militar, tenente coronel Wilson Batista, destaca que o motorista que trafega em Cuiabá não tem educação para o trânsito, não respeita placas de sinalização, nem a velocidade permitida.

O comandante destaca ainda que os motoristas se comportam como se o pedestre não existisse e as vias fossem somente deles. "Esquecem que o pedestre tem preferência".

Justamente por falta desta falta de respeito ao pedestre que, na terça-feira de manhã, a operadora de telemarketing Rosângela Silva de Magalhães, 24, morreu após ser atropelada por um caminhão na faixa de pedestre localizada na avenida Miguel Sutil. A vítima tentava atravessar com o sinal fechado para veículos. No fim de semana, Severino Fernandes dos Santos, 67, e uma mulher não identificada também morreram atropelados.

A alta velocidade faz parte da rotina dos motoristas de Cuiabá, mesmo que na Capital a velocidade máxima permitida seja 60 km/h. "As vias indicam uma velocidade, mas querem andar a 80, 90 km/h. Por isso temos tantos acidentes", comenta o comandante da PM.

Batista defende a volta dos radares eletrônicos para auxiliar na fiscalização e coibir velocidades tão acima do permitido. Ele cita a avenida Miguel Sutil, Historiador Rubens de Mendonça e Fernando Corrêa da Costa como as mais violentas da Capital. Em Várzea Grande, a avenida da FEB é a líder de acidentes.

Foi na avenida Fernando Corrêa da Costa que o motorista Alex Lopes Rosendo, 16, perdeu o controle da direção do veículo e colidiu de frente com um ônibus. Ele e outras 3 pessoas morreram na hora: Maria Rita Pereira da Silva, 47, a filha dela, Greice Kelen Pereira da Silva, 17, e Renan Magaiver da Silva, 22. Na mesma avenida, Valmir Santos Moura, 43, morreu ao sofrer um acidente de moto.

As duas últimas mortes registradas foram dos motociclistas Iago Tafarel Fracarolli, 18, na avenida das Torres, e Rafique Ferreira da Silva, 21. (Leia mais na matéria abaixo)











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO