08.02.2017 | 11h20


PODERES / OPERAÇÃO SODOMA

Preso por corrupção, Cursi pode deixar a cadeia nesta quarta-feira

As chances do ex-secretário de Estado de Fazenda da gestão Silval Barbosa ser solto são grandes; ele é réu na Operação Sodoma


DA REDAÇÃO

Preso há exatamente um ano quatro meses e três semanas, o ex-secretário de Fazenda, Marcel de Cursi, pode sair da cadeia ainda nesta quarta-feira (8).

Ele é réu na Operação Sodoma, que trata sobre crimes de corrupção, cobrança de propina, lavagem de dinheiro, fraudes em incentivos fiscais, entre outros, que teriam ocorrido na gestão do ex-governador Silval Barbosa (PMDB).

Cursi e Silval estão presos no Centro de Custódia de Cuiabá (CCC), anexo ao presídio no bairro Carumbé, desde setembro de 2015.

Eles são acusados de compor uma organização criminosa formada para angariar vantagem indevida junto a empresários que mantinham contratos com o Estado, com o fim de pagar dívidas de campanha do ex-governador, referente à eleição de 2010.

No último dia 25 de janeiro, outro réu na operação, o ex-secretário de Estado de Planejamento, Arnaldo Alves de Souza Neto, deixou a cadeia, mediante pagamento de R$ 607 mil em fiança.

Ele obteve a liberdade junto à 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, onde os desembargadores Pedro Sakamoto e Orlando Perri votaram favoravelmente à soltura. Somente o desembargador Alberto Ferreira de Souza votou contra.

Este mesmo resultado é aguardado pela defesa de Marcel de Cursi, no julgamento desta quarta-feira, uma vez que a composição da Câmara é a mesma.

Também é considerado o voto do desembargador Orlando Perri,  que, no julgamento de Arnaldo Alves, classificou como “vagos e genéricos” os argumentos utilizados pela juíza Selma Arruda, da 7ª Vara Criminal, para mandar prendê-lo.

“O Tribunal tem mostrado que eles não estão preocupados com a opinião pública, eles estão preocupados com o Direito e isso deixa a gente com uma esperança de que vá se analisar o pedido na letra da lei”, afirmou o advogado de Cursi.

Ao , o advogado Marcos Dantas, que faz a defesa de Marcel de Cursi, disse que está otimista com julgamento do habeas corpus de seu cliente.

“O Tribunal tem mostrado que eles não estão preocupados com a opinião pública, eles estão preocupados com o Direito e isso deixa a gente com uma esperança de que vá se analisar o pedido na letra da lei. E sendo assim, a gente vê uma possibilidade”, afirmou.

Segundo o advogado, o cliente dele também mantém uma postura positiva.  “Ele [Marcel] está bem tranquilo porque como ele jura inocência, ele falou: Eu fico aqui o tempo que for preciso para provar que eu sou inocente”, afirmou.

Sílvio César Corrêa 

Na mesma sessão, a 2ª Câmara Criminal vai julgar o pedido de liberdade do ex-chefe de gabinete de Silval Barbosa, Sílvio César Corrêa de Araújo, réu na Operação Sodoma.

Ele é apontado como o “braço direito” do ex-governador e acusado de manter postura intimidatória para com os demais réus.

O advogado dele, Victor Borges, afirmou ao que está otimista diante da recente decisão do desembargador Orlando Perri.

“Os fundamentos são muito genéricos, os fundamentos são os mesmos para todos!”, disse, se referindo aos mandados da juíza Selma Arruda.

“O Sílvio hoje é uma figura folclórica que inventaram para o desembargador como se fosse o braço-direito, como se braço direito exercesse alguma função de comando. O que ele poderia mandar como chefe de gabinete do governador? Nada, ele era mandado”, defende o advogado Victor Borges.

No entanto, a situação de Sílvio César é mais complicada. Além da prisão pela Sodoma 4, ele ainda está preso pela Sodoma 3 e ainda tem medida cautelar pela Sodoma 1.

Victor Borges adiantou à reportagem que irá tentar incluir na pauta desta quarta-feira, o pedido de liberdade na Sodoma 3, para que as chances de seu cliente deixar a prisão no mesmo dia sejam maiores.  

“Eu vou fazer pedido para ser pautado lá na hora. Eu vou chegar um pouco mais cedo para conversar sobre isso. Agora, essa é a dificuldade: como colocar outro processo na pauta. É muito complexo, mas eu vou tentar”, afirmou.

Segundo o advogado, o ex-chefe de gabinete nunca atrapalhou as investigações. Além disso, ele reclama que a prisão preventiva já se mostra uma prisão definitiva.

“Ele está triste demais porque ele não é tudo isso que falam dele. O Sílvio hoje é uma figura folclórica que inventaram para o desembargador como se fosse o braço-direito, como se braço direito exercesse alguma função de comando. O que ele poderia mandar como chefe de gabinete do governador? Nada, ele era mandado”, defendeu Borges.  

Leia também:

Preso há quatro meses, ex-secretário de Silval paga R$ 607 mil para sair da cadeia

Marcel de Cursi deixa hospital e volta para a cadeia

Cursi tem crise cardíaca na cadeia e é internado às pressas 

STJ adia julgamento que pode anular operação Sodoma











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO