25.01.2020 | 15h20


DISPUTA AO SENADO

Mauro sobre aliados candidatos: 'Posso apoiar todos ou nenhum'

O democrata disse que só vai definir apoio após registro de candidatura dos candidatos.


DA REDAÇÃO

O governador Mauro Mendes (DEM) vai aguardar a definição de quem será candidato à eleição suplementar ao Senado para manifestar seu apoio. Alguns aliados do democrata defendem que ele fique neutro já que há a possibilidade de três candidatos da base concorram à vaga.

Os mais cotados são o chefe do Escritório de Representação do Governo de Mato Grosso em Brasília e ex-vice-governador, Carlos Fávaro (PSD), o atual vice Otaviano Pivetta (PDT) e o ex-governador Júlio Campos (DEM).

“Não posso dizer que eu vou apoiar ou não vou apoiar porque não sei ainda quem são os candidatos. Na hora que firmar as candidaturas, terminando o prazo para registro de candidaturas, dois ou três dias depois eu vou ter posição clara se vou apoiar alguém, ou se vou ficar neutro, ou apoiar todo mundo, ou não apoiar ninguém”, disse o governador em entrevista à rádio Vila Real, na sexta-feira (24).

Mendes ressaltou que sempre definiu seu posicionamento em assuntos políticos, mas no momento está focado em apresentar resultados.

“O meu foco é trabalhar como governador e entregar um resultado bom para as pessoas. Olha a quantidade de obras que nós retomamos em Cuiabá obras que estavam paralisadas desde 2013, 2012 e nós estamos retomando, olha pelo interior a quantidade de pontes que estão andando, de afasto que está sendo feito em Rondonópolis, no Norte, no Araguaia. Então, o governo está funcionamento. O governo voltou a devolver para a sociedade esse imposto que nós pagamos”, ressaltou.

Candidatura de Pivetta

O governador comentou que foi pego de surpresa com o interesse de seu vice em concorrer à eleição. Ele destacou que Pivetta tem feito um bom trabalho e que gostaria que ele continuasse na função que ocupa no governo.

No entanto, ele falou que poderia rever posicionamentos quando o cenário estiver definido. Em 2018, Mendes apoiou a candidatura de Fávaro ao Senado, mas ele ficou em terceiro lugar.

Neste ano, após a cassação do mandato da senadora Selma Arruda (Podemos), o governador ingressou uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF) solicitando que o terceiro colocado assuma a vaga temporariamente até o eleito, na eleição suplementar, seja empossado.

“Quando eu falava lá atrás sobre o Carlos Favaro é verdade,  eu apoiei e não tem motivo se mudarem os fatos. Se mudarem eu tenho direito de rever as minhas posições também. Isso é natural. Eu posso estar com uma decisão hoje e se alguém chega e me mostra uma nova realidade não tem problema nenhum em pedir desculpas e dizer: ‘Olha gente apareceu um fato novo e eu tenho direito’”, destacou.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Matéria(s) relacionada(s):

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO