02.04.2012 | 14h11


LUIZ FLÁVIO GOMES

Um país epidemicamente homicida



As recentes brigas entre algumas torcidas organizadas, com local e hora marcados, bem evidenciam um dos aspectos mais negativos do nosso País epidemicamente violento e homicida. Para efeito da Copa do Mundo (2014) e das Olimpíadas (2016), é claro que muitos estão vendendo a boa imagem do Brasil.

Ostentamos, orgulhosos, o 6º lugar na economia mundial (Fundo Monetário Internacional – World Economic Outlook). De outro lado, parece certo que muita gente vê o Brasil como uma nação civilizada. Não faz tanto tempo, recebemos dos estrangeiros o seguinte título: “O povo brasileiro é o mais legal do mundo” (notícia veiculada pelo Governo Federal brasileiro).

O Brasil, ademais, dentre 158 países, é tetracampeão em felicidade no ranking de uma pesquisa feita pela FGV (Fundação Getúlio Vargas), em parceria com a consultoria Gallup (Folha de S. Paulo de 08.03.12, p. C12).

No entanto, ele também apresenta uma média de 48 mil mortes intencionais ao ano, considerado o período de 1999 – 2009 (DATASUS - Minisério da Saúde).

Apenas em 2009, 51.434 pessoas foram vítimas de homicídios, o que representa um aumento de aproximadamente 20%, tomando como base o ano de 1999, no qual 42.914 pessoas morreram.

Em 11 anos (de 1999 – 2009) 531.306 brasileiros perderam suas vidas de forma abrupta, quantitativo que excede, espantosamente, o número de mortes de vários conflitos armados no mundo. Por exemplo, com este montante de 531.306 em 11 anos (1999 a 2009), o Brasil fica à frente de Angola que, num período de 27 anos (de 1975 a 2002) teve 550.000 mortes, em decorrência da Guerra Civil que assolou o país (Instituto Sangari - Mapa da violência 2012).

Este número expressivo de homicídios é que faz com que nosso País tenha uma taxa nacional de 26,9 homicídios dolosos (por grupo de 100 mil habitantes) e receba o título da OMS (Organização Mundial de Saúde) de país com nível de violência epidêmica. A OMS (Organização Mundial de Saúde) estabelece que quando a taxa é superior a mais de 10 homicídios por 100 mil habitantes, o local é considerado uma zona epidêmica de homicídios. Em suma, o Brasil, de acordo com o imaginário popular, é o país do futebol, da cachaça, das mulheres bonitas etc. Lamentavelmente, também da violência.

*Luiz Flávio Gomes é Jurista e cientista criminal, diretor-presidente do Instituto de Pesquisa e Cultura Luiz Flávio Gomes.



A redação do RepórterMT não se responsabiliza pelos artigos e conceitos assinados, aos quais representam a opinião pessoal do autor.

Os artigos assinados são de responsabilidade do autor, não apresentando, portanto, a opinião do site ReporterMT.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.


Confira também nesta seção:
17.09.19 08h34 »  Tijolo
17.09.19 08h32 »  Centro-Oeste e Amazônia
17.09.19 08h27 »  Lei de abuso de autoridade
17.09.19 08h21 »  O secretário e a Arena
16.09.19 08h53 »  Precisa-se
16.09.19 08h51 »  Intuito explícito
16.09.19 08h45 »  Queimadas e tempo seco
16.09.19 08h39 »  Vida noturna cuiabana
15.09.19 07h55 »  Clima quente exige mais cuidados
15.09.19 07h55 »  O leviatã tupiniquim

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER