12.09.2014 | 15h05


PARDAL EM CUIABÁ

Prefeitura ainda não sabe quando os radares eletrônicos entram em funcionamento

A implantação dos radares iniciou no dia 29 de julho


DA REDAÇÃO

A Prefeitura de Cuiabá ainda não tem a data definida em que entrarão em funcionamento, em caráter punitivo, os radares e lombadas eletrônicos implantados nas ruas da Capital. A previsão é que a campanha de monitoramento siga durante todo o mês de setembro, e em seguida as multas deixem de ser orientativas e passem a punir os motoristas que ultrapassarem o limite de velocidade estabelecido. 

A implantação dos radares iniciou no dia 29 de julho. Além da lombada eletrônica na Avenida Beira Rio, que já está funcionando, está sendo instalado o mesmo tipo de equipamento na Avenida Mato Grosso, em frente ao Colégio Presidente Médici; um radar fixo na Avenida Miguel Sutil, próximo ao viaduto da Rodoviária; e detectores de avanço de sinal vermelho no cruzamento da Avenida Issac Póvoas com a Rua Barão de Melgaço e das Avenidas Tancredo Neves e General Mello.

As instalações de mais uma lombada eletrônica também já começaram na Avenida General Mello. Radares fixos serão colocados em mais pontos das Avenidas Miguel Sutil e Beira Rio e um ponto na Avenida República do Líbano. O avanço semafórico também será instalado nos cruzamentos da Avenida Issac Póvoas com a Rua Comandante Costa e das Avenidas Getúlio Vargas e Marechal Deodoro. 

Os equipamentos estão sendo instalados pelo Consórcio CMT – Cuiabá Monitoramento de Trânsito – o custo para a instalação dos equipamentos será de R$ 43,8 milhões. São 44 lombadas eletrônicas, 44 radares fixos, 55 detectores de avanço semafórico, 30 câmeras de monitoramento, uma unidade móvel de monitoramento, dois radares móveis, dois painéis de mensagens variáveis, 30 talonários eletrônicos de infração, um sistema de apoio a JARI e uma Central de Inteligência de Controle de Trânsito. 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER