29.03.2020 | 08h00


GERAL / CRISE DA PANDEMIA

Economista alerta para corte de salários em MT: 'Famílias terão que se adaptar'

O fechamento de empresas e comércio gerou uma crise na economia, e para evitar uma demissão em massa rendas devem diminuir e preços estarão elevados


DA REDAÇÃO

O país começava caminhar para um panorama positivo, pós crise de 2008 e foi atingido por outra crise em 2020, na saúde, que impactou diretamente nas finanças do brasileiro, fazendo com que as famílias tenham que se reinventar nos próximos meses. O economista Edisantos Amorim explicou ao , que devido à situação atual, para evitar medidas mais drásticas, a renda, principalmente da classe média e baixa, deve cair. 

“Por mais que os governos segurem, os trabalhadores irão sentir, pois, pode haver nesse período uma redução de salários e carga horária de trabalho [para evitar a demissão em massa]”, pontua o economista. 

Edisantos argumenta que neste ano os brasileiros terão que reajustar o orçamento, até que as coisas comecem a voltar à naturalidade.

“Com período de trabalho menor, vão ter que se readaptar a essa nova cultura, cortar gastos, cortar custos, cortar tudo”, disse. 

Além disso, ele ressalta que é importante que as pessoas fora do grupo de risco, e que não estão doentes, voltem a trabalhar para que a economia não entre em colapso. 

A economia do Brasil é emergente e não tem estrutura para ficar tanto tempo parada.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Matéria(s) relacionada(s):

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO