15.04.2019 | 10h53


MUNDO

Responsável pela imagem de buraco negro é alvo de ataques machistas

Uma publicação falsa compartilhada na internet sugeria que a cientista estava levando "muito crédito" pelo trabalho



Katie Bouman ficou conhecida nessa semana como uma das cientistas responsáveis pela primeira imagem de um buraco negro da história. Após a divulgação da imagem na última quarta-feira, 10, a cientista foi alvo de ataques machistas na internet.

Nos ataques, os críticos disseram que a cientista estava recebendo "muito crédito" pelo trabalho. Desde o momento que passou a receber reconhecimento, Katie ressaltou que o trabalho era, na realidade, de toda a equipe — ao todo, 200 cientistas participaram do projeto, sendo 40 mulheres.

Após os ataques, Harvard Andrew Chawl, colega de Bouman, saiu em defesa da cientista em seu Twitter.

“Então, aparentemente, algumas pessoas (espero que poucas) estão usando o fato de que eu sou o desenvolvedor primário da biblioteca de software que ajudou a criar a imagem do buraco negro para fazer ataques terríveis e sexistas à minha colega e amiga Katie Bouman. Parem", escreveu ele em seu Twitter.

Segundo informações do jornal O GLOBO, uma publicação falsa compartilhada na internet sugeria que 850 mil das 900 mil linhas de código do algoritmo que levou à imagem do buraco negro havia sido feita pelo colega de Bouman — essa afirmação é falsa.

"(...) Então, enquanto eu aprecio os parabéns por um resultado que eu trabalhei duro por anos, se você está me parabenizando porque você tem uma vingança sexista contra Katie, por favor, vá embora e reconsidere suas prioridades na vida", concluiu ele em seu Twitter.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Enquete

R$ 65 MILHÕES

Você é a favor ou contra o corte de Bolsonaro no orçamento da UFMT e IFMT?

Sim, só produzem baderna

Não, vai piorar o nível dos cursos

Sim, a maior parte do gasto é com altos salários de servidores

Não, deveria aumentar os investimentos

  • Parcial

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER