12.06.2018 | 11h31


ELEIÇÕES 2018

Mauro Mendes nega pré-candidatura ao Governo; dinheiro é entrave

O ex-prefeito de Cuiabá afirmou que o partido deve buscar articulações para que a chapa se confirme. As empresas de Mendes passam por dificuldades financeiras e o financiamento da campanha e a maior preocupação de MM


DA REDAÇÃO

O Democratas busca viabilizar financeira e politicamente as campanhas do ex-prefeito de Cuiabá Mauro Mendes ao Governo do Estado e do ex-senador Jayme Campos ao Senado. A viabilidade eleitoral de ambos teria sido confirmada por uma pesquisa interna do partido, que decidiu por construir as duas campanhas em reunião na noite desta segunda-feira (11). O dinheiro para a campanha parece ser o grande obstáculo para a efetivação da candidatura de MM. 

“Ontem nós mudamos o estágio, mas não houve um efetivo lançamento de uma pré-candidatura, nem minha nem do Jayme. Nós tivemos uma pesquisa em que aparecem dois candidatos com uma boa viabilidade eleitoral".

“Ontem nós mudamos o estágio, mas não houve um efetivo lançamento de uma pré-candidatura, nem minha nem do Jayme. Nós tivemos uma pesquisa em que aparecem dois candidatos com uma boa viabilidade eleitoral. Uma campanha não se faz apenas com uma viabilidade eleitoral, ou seja, ter uma boa intenção nas pesquisas. Você tem que construir dois outros pilares importantes que é o da viabilidade política e estrutural/financeira”, disse Mauro Mendes, nesta terça-feira (12) ao Programa Chamada Geral. 

O ex-prefeito de Cuiabá afirmou que o partido deve buscar, nas próximas semanas, as articulações necessárias para que a chapa se confirme na disputa majoritária. As empresas de Mendes passam por dificuldades financeiras e o financiamento da campanha deve ser solucionado neste período.

“Nós temos prazo, existem muitas indefinições, muitos partidos. A política vive um momento diferente, muitas coisas terão que ser diferentes nessa campanha. O cidadão cobra isso daqueles que estão na política. Se fizermos do mesmo jeito, o resultado vai ser muito parecido com o que está aí hoje e que não é aprovado pela população”, afirmou.

Mendes disse que ainda não conversou com o ex-prefeito de Lucas do Rio Verde e pré-candidato ao Governo Otaviano Pivetta (PDT) nem com o ex-vice-governador e pré-candidato ao Senado Carlos Fávaro (PSD). Os dois são cogitados para um possível arco de aliança. As convenções dos partidos, com a definição das candidaturas, devem ocorrer entre o final de julho e o começo de agosto.

Só o começo

Afinado com Mendes, o presidente do Democratas, deputado federal Fábio Garcia, afirmou ao que a reunião de segunda-feira marcou o início dos trabalhos para que o partido entre, de fato, na disputa.

“O que aconteceu ontem foi que DEM definiu que iria iniciar a construção das pré-candidaturas de Mauro e Jayme, mas que isso  passaria por viabilidade partidária, estrutural, um projeto para o estado de Mato Grosso. Nós estamos apenas começando”, declarou.

O parlamentar disse que “algumas questões importantes” já têm sido debatidas pela sigla em encontros realizados pelas regiões do Estado. “Temos que propor uma boa gestão, modernização do Estado, transparência, debate verdadeiro, vencer o desafio que é distribuir melhor as riquezas produzidas no estado de MT, administrar o Estado com mais eficiência, diminuir o desperdício, e etc”, disse.

Questionado sobre as áreas deficitárias da gestão Pedro Taques (PSDB) que poderiam ter melhorias, o deputado preferiu não responder. “Eu acho que ainda é prematuro falarmos em propostas”, avaliou.

Leia mais

DEM define Mauro Mendes ao Governo e Jayme ao Senado; ambos negam candidatura

Pivetta mantém pré-candidatura após decisão de Mauro Mendes 











(2) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Ana clara   13.06.18 00h31
Quem deveria ser candidato ao governo é o Botelho, articulador, melhor executivo que legislador e humilde. Não é um prepotente como Taques, frio com MM e ganancioso como os Campos. Aliás ninguém merece Jayme e Júlio no governo novamente. Diosmio!!

Responder

2
0
José Marcos Montovani  12.06.18 15h44
O mais importante para construir uma candidatura MM não é dinheiro, o mais importante é um plano de governo para o Estado e para os cidadãos.

Responder

13
1

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER