13.08.2019 | 13h50


AÇÃO NO PASCOAL RAMOS

Operação tira regalias de presos após morte de agente prisional

Objetivo é evitar que outras mortes de agentes ocorram, como foi o assassinato de Elison Douglas da Silva, em Lucas do Rio Verde, em 30 de junho.



Uma grande operação foi deflagrada pelo Sistema Penitenciário para tirar regalias de presos na Penitenciária Central do Estado (antigo Pascoal Ramos), unidade considerada de segurança máxima, em Cuiabá. As ações tiveram início na noite de segunda-feira (12) e ocorrem, segundo o Sindspen, em resposta ao pedido de socorro da categoria após a execução do agente Elison Douglas, em Locas do Rio Verde (a 333 km de Cuiabá) em 30 de junho.

Já a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos alega que a operação teve início às 9h desta terça-feira (13) com revista minuciosa em todos os raios e celas da unidade prisional.

No local serão verificadas também as condições estruturais da área da carceragem e feita a retirada de produtos que estão em desconformidade com o estabelecido no Manual de Procedimento Operacional Padrão do Sistema Penitenciário. Após a revista geral será iniciada a reforma nas celas dos raios 1,2,3 e 4. 

As visitas estão suspensas aos presos durante essa semana, assim como o atendimento a advogados e defensores públicos. Apenas as escoltas emergenciais, em caso de saúde, serão realizadas. 

A Secretaria nega que tenha ocorrido qualquer caso de agressão ou morte na unidade durante a operação.

Não há, por enquanto, registro de apreensão de materiais ilícitos, como celulares e drogas. Um balanço parcial do que foi retirado das celas será divulgado posteriormente. 

A operação é realizada apenas na Penitenciária Central do Estado, não sendo estendida e nenhuma outra unidade no interior ou mesmo na Capital.

Agente morto

Conforme noticiado pelo anteriormente, a Polícia Civil confirmou que o agente prisional Elison Douglas da Silva, 37 anos, foi vítima de uma emboscada. Ele foi morto com pelo menos 20 tiros no momento em que chegava em casa, no bairro Tessele Júnior, em Lucas do Rio Verde (333 km de Cuiabá), na noite de domingo 30 de junho.

Um menor confessou a autoria do crime e disse que tinha uma desavença com o servidor. A polícia, no entanto, também tem como linha de investigação uma suposta ordem para matar o agente, que teria partido de dentro da cadeia.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Enquete

ABUSO DE AUTORIDADE

Você concorda com aprovação da Lei para punir juízes?

Concordo: MP e Juízes erram muito e prejudicam pessoas de bem

Não concordo. A aprovação da lei é que é um abuso

Bolsonaro deveria vetar a lei

Bolsonaro deve sancionar a lei

  • Parcial

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER