04.09.2010 | 18h52


POLÍCIA

LUCAS: homem engravida filha de 12 anos, provoca aborto e é preso

da redação

Investigações da Delegacia Especializada de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (Deddica) culminaram na prisão de um pai, acusado de abusar sexualmente da filha de 12 anos e provocar aborto do filho que a adolescente esperava. A prisão ocorreu em Lucas do Rio Verde (354 km ao Norte), nesta sexta-feira (03.09), mas a família mora em Cuiabá, na região do Coxipó.

 

Há cerca de três anos a adolescente sofria abusos de A.F.S, 37 anos, que teve prisão preventiva decretada pela 1ª Vara de Violência Doméstica e Familiar, da capital. A menina engravidou do próprio pai e teve aborto supostamente provocado. Ela estava com três meses de gestação e não desconfiava da gravidez.

 

Como a mãe acreditava que a menina estava apenas com a menstruação atrasada, deu para ela tomar um medicamento fitoterápico. Desconfiado da gravidez o pai teria forçado a filha ingerir outros dois remédios produzidos a base de extratos vegetais. Depois de uma semana, a garota começou a apresentar sangramento e teve uma hemorragia. Ela foi levada para a Policlínica e em seguida para o hospital, onde a mãe descobriu que a filha estava grávida.

 

Conforme a delegada Liliane de Souza Santos Murata Costa, a mãe da menina procurou a delegacia e denunciou o caso. A delegada solicitou ao Instituto de Medicina Legal necropsia no feto de três meses e aguarda resultado do laudo para confirmar se o aborto foi provocado por substâncias abortivas.

A delegada informou que o preso será indiciado por crime de estupro de venerável e responderá por aborto, caso seja confirmado.

 

A adolescente confirmou as agressões à equipe de psicólogos da Delegacia. Ela teria informado ainda que tinha medo de contar para mãe, por ser o pai a única fonte de renda da família.

 

Diante da gravidade do crime e por ser tratar de vítima menor de idade, o caso segue em segredo de Justiça.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO