alexametrics
19.07.2010 | 11h51


POLÍCIA

Cemat alerta para perigo de pipas na rede de energia



Da redação

Em tempo de férias, colocar uma pipa no céu é uma boa opção de lazer para a garotada. Mas a brincadeira, aparentemente inocente, que começa desde a construção da pipa, pode resultar em acidentes graves se não forem observados aspectos ligados à segurança. No período de janeiro a maio de 2010, já foram 30 ocorrências, sendo 21 na Região Metropolitana de Cuiabá e Várzea Grande e 9 no interior do Estado. Em Cuiabá, os bairros com maior índice de ocorrências são: Osmar Cabral, Pedra 90, Grande Terceiro/Cidade Verde, Planalto, Despraiado, Bela Vista, Canjica, Dr. Fábio, Jardim Florianópolis e Cristo Rei. (Veja dicas abaixo)
 
No ano passado, a Cemat registrou 62 ocorrências envolvendo pipas em diversas localidades de Mato Grosso. Somente na Região Metropolitana, foram 32 ocorrências de problemas na rede elétrica (de baixa e alta tensão) ocasionadas pelas pipas, também conhecidas por pandorgas ou papagaios. De acordo com o engenheiro eletricista Teomar Estevão Magri, gerente do Departamento de Operação do Sistema (DOS), os danos na rede elétrica são provocados por curtos-circuitos que provocam desligamento da rede e interrupção no fornecimento de energia elétrica aos consumidores.
 
"Esta interrupção pode ser de curta ou de longa duração dependendo da extensão dos danos provocados na rede, que podem ocasionar rompimento de fios, queima de transformadores, danos em isoladores, em chaves-fusíveis como também danos elétricos em equipamentos de clientes. Adicionalmente, os restos de materiais presos nas redes, com a chegada das chuvas, também podem provocar curtos-circuitos", afirma ele.
 
 
Ele explica que o perigo começa quando pessoas imprudentes utilizam materiais condutores de energia na montagem das pipas (fios finos de cobre em substituição às linhas, papéis metalizados e até material de fita magnética de K-7 ou VHS ) ou quando as empinam em locais impróprios e próximos à rede elétrica. Segundo o engenheiro, as ocorrências são mais características nas estações do outono e inverno (período de clima seco e com grande circulação de ventos) de maio a setembro. "Com as férias escolares de julho, as probabilidades de acidentes aumentam ainda mais", lembra.
 
Mesmo quando a pipa está com sua linha natural, representa muitos perigos para as crianças, pois exige que ao brincar, seu olhar e a atenção estejam voltados para o alto e um segundo de distração pode gerar um acidente como cair de lugares altos ou um atropelamento ao cruzar uma travessia. Teomar ressalta que utilizar objetos condutores de energia ou subir em árvores para o resgate de uma pipa pode ser fatal. Para evitar que a brincadeira acabe mal, a Cemat orienta que as crianças fiquem longe da rede elétrica, utilizando parques ou praças públicas para brincar com segurança.
 
Acidente com a rede elétrica pode deixar sequelas como queimaduras (de primeiro, segundo ou terceiro grau), amputação de membros e até causar a morte. Outra dica é: jamais invada subestações de energia elétrica para resgatar o brinquedo. Os pais ou responsáveis devem ficar atentos e orientar as crianças sempre. "O uso do cerol (pó de vidro ou limalha de ferro com cola) aumenta o perigo, pois transforma a pipa numa arma letal, caso corte pescoço de ciclista ou motoqueiro como também para o próprio empinador e outras pessoas próximas", observa Teomar.
 
Socorro: Em caso de choque elétrico, o primeiro impulso de qualquer um é tentar puxá-lo, porém, o indicado é não tocar na pessoa. O ideal para auxiliar no socorro é utilizar objetos de borracha ou de madeira e nunca de metal ou que estejam molhados. Em hipótese alguma se deve tocar em fios caídos na rua. Em caso de acidentes, peça socorro médico pelo 192 (Samu) e informe imediatamente a Cemat por meio do telefone 0800 6464 196. A ligação é gratuita e o serviço funciona 24 horas.
 
 
Dicas de Segurança
 
 
* Nunca solte pipa perto de antenas, postes e fios elétricos;
 
* Prefira locais abertos, como parques ou campos;
 
* Nunca empine pipas em lugares altos, como telhados ou lajes. De tanto olhar para cima, a criança pode tropeçar e cair;
 
* Brincar de soltar pipa em dias de chuva é muito perigoso devido aos raios. Só faça isso quando o tempo estiver bom;
 
* Jamais utilize linha metálica, como fio de cobre de bobinas;
 
* Também não faça pipas com papel laminado porque o risco de choque elétrico é grande;
 
* Tente soltar pipa sem rabiola, como as arraias. Na maioria dos casos, a pipa  se prende na rede elétrica por causa da rabiola;
 
* Se a pipa enroscar em fios, não tente tirá-la. É melhor fazer outra. E nunca use canos, vergalhões ou bambus para tentar removê-la;
 
* Ao correr atrás das pipas, muito cuidado com o trânsito. Tenha atenção especial com os motociclistas e ciclistas. A linha da pipa pode ser perigosa para eles.
 

fonte: Andreson Pinho/assessoria











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO

Bebe Prime