18.11.2019 | 08h30


GRAMPOLÂNDIA PANTANEIRA

Ex-secretário de Taques volta obstruir investigações e juiz manda pôr tornozeleira

Antes de impor medidas cautelares, o juízo da 7ª Vara Criminal negou pedido de prisão contra o delegado aposentado Rogers Jarbas investigado no esquema dos grampos.


DA REDAÇÃO

O juiz Jorge Luiz Tadeu Rodrigues, da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, determinou que o ex-secretário de Segurança Pública Rogers Jarbas passe a usar tornozeleira eletrônica. Ele é acusado de tentar obstruir investigações referentes às escutas telefônicas clandestinas que ficaram conhecidas como “Grampolândia Pantaneira”.

Conforme apurou o , a Polícia Civil havia representado pela prisão de Jarbas por suposta obstrução de Justiça, mas o juiz deferiu apenas o monitoramento eletrônico.

Rogers foi secretário do ex-governador Pedro Taques (PSDB), que é apontado como “dono” do escritório clandestino montado em Cuiabá com objetivo de obter vantagem política ao monitorar opositores, jornalistas, advogados e empresários.

O ex-secretário chegou a ser preso na Operação Esdras, também acusado de obstrução de Justiça. 

Esdras

Sete investigados, entre secretários e ex-secretários foram presos no dia 27 de setembro por determinação do desembargador Orlando Perri, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), na Operação Esdras, da Polícia Civil. Eles são acusados de participarem de uma trama para afastar Perri da relatoria do processo dos grampos usando uma câmera escondida em uma farda da PM.

Rogers também foi indiciado pelo MP por ameaças contra o também delegado Flávio Stringueta, que era um dos responsáveis pela investigação da Grampolândia. O episódio aconteceu em um supermercado de Cuiabá.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO