28.05.2020 | 08h22


PODERES / EXCLUSIVOS PARA COVID-19

Estado processa prefeitura por impedir fiscalização de leitos de UTI

Governo alega que é cofinanciador destes leitos, junto com o Ministério da Saúde, e que se fiscalização não for autorizada, não irá repassar os recursos



O governo de Mato Grosso ingressou com uma ação judicial contra a Prefeitura de Cuiabá, na última quarta-feira (27), para garantir a fiscalização nos hospitais do município que possuam leitos de UTI voltados aos pacientes com coronavírus.

A ação, com pedido de liminar e multa diária de R$ 50 mil por descumprimento, foi protocolada pela Procuradoria Geral do Estado (PGE) que afirma que a prefeitura impediu, "sem qualquer motivo plausível", a equipe de supervisão hospitalar de auditar as unidades, especificamente no Hospital Municipal de Cuiabá, no Hospital São Benedito e no Hospital e Pronto Socorro de Cuiabá.

No processo, o governo relatou que existe uma portaria do Ministério da Saúde autorizando a habilitação de leitos exclusivos para a covid-19, desde que a solicitação seja conjunta entre município e estado. Cada leito habilitado recebe uma quantia diária de R$ 1,6 mil para custeio e manutenção, valor que é custeado pelo Ministério da Saúde e pelo governo do Estado.

No caso da Prefeitura de Cuiabá, foram habilitados 100 leitos: 10 no Hospital e Pronto Socorro Municipal de Cuiabá; 60 no Hospital Municipal de Cuiabá e 30 no Hospital São Benedito.

“Desse modo, figurando o Estado de Mato Grosso como cofinanciador dos recursos financeiros para custeio dos Leitos de UTI, e de acordo com as normativas subjacentes, o Ente Estadual possui o dever de auditar os leitos, devendo validá-los pela equipe de supervisão hospitalar da SES, a fim de que o Ente Municipal receba o repasse dos recursos provenientes do Tesouro Estadual”, diz trecho do documento.

Apesar de ter o dever de auditar e validar os leitos habilitados, a equipe de supervisão hospitalar da Central de Regulação Estadual afirma que passou a ser impedida pela Prefeitura de entrar nas três unidades de saúde.

“A conduta do Município de Cuiabá, no sentido de impedir a entrada da equipe de supervisão da Central de Regulação nos citados Hospitais de Cuiabá, caso persista, acarretará na suspensão do cofinanciamento estadual dos Leitos de UTI destinados à covid-19, fato que prejudicará toda a saúde pública do Estado, diante da possível diminuição do número de leitos para tratamento intensivo dos pacientes atingidos pela Pandemia”, afirma a petição.

OUTRO LADO

O procurou a assessoria de imprensa da Prefeitura de Cuiabá e aguarda um posicionamento.











(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Teka Almeida  28.05.20 11h55
Meu Deus!!!! Mauro MENTE governo FAKE NEWS quando é que vc vai AMADURECER???? Quando vai se tornar GENTE para respeitar e ao menos ser fazer respeitar??? Toma vergonha na sua cara, a eleição ainda não começou e mesmo se tivesse começado seu candidato estaria em último lugar. Vai trabalhar para ver se produz algo que presta.

Responder

3
3
Matéria(s) relacionada(s):

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO