14.01.2020 | 16h00


VERBA INDENIZATÓRIA E SALÁRIO

Câmara de VG pagou R$ 19 mil a vereador preso por tráfico de drogas

Presidente do Legislativo afirma que pagamento foi feito porque folha salarial de dezembro já estava pronta.



O presidente da Câmara de Várzea Grande, Fábio José Tardin, o Fabinho (DEM), anunciou que o vereador Jânio Calistro (PSD) não receberá mais o salário de aproximadamente R$ 10 mil e a verba indenizatória, no valor de R$ 9 mil, enquanto estiver preso. 

No entanto, o Legislativo destacou que o mês de dezembro foi pago integralmente ao parlamentar, que já estava detido, porque a folha de gastos com pessoal já estava finalizada.

A informação consta na nota divulgada pela Câmara Municipal de Várzea Grande nesta terça-feira (14).  

Calistro está preso por força da Operação Cleanup, deflagrada em dezembro passado pela Delegacia Especializada de Repressão a Entorpecentes (DRE), acusado de envolvimento com o tráfico de drogas - veja mais aqui

No texto o presidente destaca o direito de ampla defesa de Jânio, porém, afirma que decidiu que o pagamento do salário e da verba indenizatória será suspenso enquanto o parlamentar estiver impedido de exercer o mandato. 

Tardin revelou que mesmo após a prisão, o pagamento da remuneração de Jânio Calistro referente ao mês de dezembro/2019 ocorreu de maneira integral. Segundo ele, o salário foi pago no dia 23/12/2019, ou seja, a folha de pagamento já se encontrava em fase de encerramento.

“Haja vista que, primeiramente, o Poder Legislativo não havia sido comunicado formalmente e através das autoridades competentes, quanto à prisão do edil, o que ocorreu somente no dia 08/01/2020, além disso, o pagamento do salário do referido mês ocorreu no dia 23/12/2019, quando deu-se início ao recesso parlamentar, sendo que na data da prisão do vereador, a folha de pagamento já encontrava-se em fase de encerramento”, cita trecho da nota.

No entanto, a Câmara que se encontra no período de recesso parlamentar até o dia 18 de fevereiro, segue sem analisar se o vereador - que faz parte da Comissão de Ética do Legislativo - será afastado. Ainda conforme o Legislativo, também não há nenhum pedido formal pela cassação do parlamentar.

Leia mais: Câmara de VG só vai analisar cassação do vereador Jânio Calistro no próximo ano

Polêmicas

Esta foi a segunda vez que vereador e ex-presidente da Câmara Jânio Calistro foi preso. Em 2018, ele foi detido por porte ilegal de arma de uso restrito, porém, teve a liberdade concedida a partir de um pedido do Ministério Público Estadual (MPE), que entendeu que o parlamentar pode responder o processo em liberdade.  











(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

ana  14.01.20 18h11
normalmente quem não comparece ao serviço é descontado ne???

Responder

4
0

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO