05.12.2011 | 07h52


ADILSON ROSA

Na Bolívia é bem melhor



O Brasil está carente de infraestrutura – principalmente rodovias e ferrovias – e a China quer produtos agrícolas para alimentar mais de um bilhão de bocas. Para que soja e milho principalmente cheguem aos portos chineses é preciso fazer chegarem as commodities até os portos e embarcar nos navios. Aí é que esse par parece não ser perfeito, pois pelas atuais leis brasileiras o interesse chinês está mais para o divórcio do que para o casamento.

O Brasil tem leis tão esdrúxulas que culpar o Ministério Público por atraso ou paralisação das obras é desconhecer que ele, o MP só está cumprindo as leis. Para duplicar a Cuiabá Santarém é preciso ter licença ambiental. Ué, mas a rodovia já não está construída? Para que pedir uma coisa dessas? Pois bem, a lei exige sim. Absurdos como esses são poucos diante de mais situações constrangedoras para os chineses e para grande parte do mundo.

A ferrovia Cuiabá Santarém, pelo jeito não interessa aos chineses porque eles não entendem o motivo de tanta paralisação de obras que se perdem num emaranhado de armadilhas jurídicas. O resultado é um aumento de um fluxo de carga de um terço por safra e as estradas não acompanham o mesmo ritmo. Com uma rodovia que parece mais estreita a cada dia, os acidentes são inevitáveis. E a cada batida, a estrada fecha dos dois lados.

Nessa semana, duas colisões envolvendo carretas – tanto vazias como carregadas – próximo de Jangada e na saída para Rondonópolis, deixaram uma fila imensa de caminhões e automóveis. Perto de Jangada foram mais de 20 horas de pista fechada no período da safra quando o fluxo de carretas e caminhões está no pique. Culpa de nossas leis que emperram as construções e reformas de estradas e ferrovias.

A sorte de Mato Grosso é que os chineses não foram oferecer a ferrovia para a Bolívia, num traçado saindo de Cáceres até o Chile ou Peru. Com certeza, Ivo Morales seria mais flexível e deixaria o caminho aberto para que as estatais chinesas instalem os trilhos no país vizinho. Não conheço as leis bolivianas, mas são infinitamente menos emperradas, amarradas do que as leis brasileiras. Muitas delas somente para o mundo aplaudir. Leis que não foram feitas para os brasileiros.

ADILSON ROSA é repórter

Os artigos assinados são de responsabilidade do autor, não apresentando, portanto, a opinião do site ReporterMT.











(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Cristiane  06.12.11 12h12
Mas o nome do presidente da Bolívia não é EVO MORALES?

Responder

0
0

Confira também nesta seção:
21.09.19 07h55 »  Brasil x Queimadas
21.09.19 07h55 »  Paulo Freire
21.09.19 07h55 »  Advogado não precisa de privilégios
21.09.19 07h55 »  Turismo
20.09.19 08h14 »  Cassação de Selma é patifaria contra a Lava Jato
20.09.19 07h55 »  Plante esta ideia
20.09.19 07h55 »  Impunidade
20.09.19 07h55 »  A importância da ciência
20.09.19 07h55 »  Setembro Amarelo
19.09.19 08h32 »  Centro Histórico de Cuiabá

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER