11.12.2019 | 15h50


PRESO HÁ 37 DIAS

TJ manda soltar dono de autoescola acusado por duplo homicídio

Paulo Burin estava preso acusado de matar seu cliente e um advogado durante uma confusão por causa da liberação de CNH.


DA REDAÇÃO

O Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) concedeu liberdade ao empresário Paulo Henrique Burin, 49 anos, na manhã desta quarta-feira (11). Ele é acusado de matar Thiago Luiz da Silva Campo, 37 anos, e Eldes Fernando dos Santos, 22 anos, dentro de sua autoescola, em Diamantino (184 km de Cuiabá).

A decisão unânime é da Segunda Câmara Criminal, composta pelos desembargadores Rui Ramos, Pedro Sakamoto - relator do processo - e a juíza convocada Glenda Moreira Borges .

De acordo com a defesa do empresário, o advogado Roger Fernandes, o TJMT entendeu que há falta de requisitos consistentes e confiáveis para manter a prisão de Paulo Henrique Burin.

“O desembargador levou em consideração a ausência de fundamentação idônea na decisão para decretar e manter preso o acusado, acatando na íntegra as alegações da defesa”, explicou Fernandes.

“O desembargador levou em consideração a ausência de fundamentação idônea na decisão para decretar e manter preso o acusado, acatando na íntegra as alegações da defesa”, explicou Fernandes.

Paulo Henrique estava preso desde o dia 04 de novembro, quando a Polícia Civil cumpriu o mandado de prisão em seu desfavor dentro de uma sala de espera do fórum de Diamantino.

Paulo foi encaminhado junto com seu advogado à delegacia e em seguida reencaminhado para a cadeia pública da cidade, onde ficou por 37 dias.

Entenda o caso

A Polícia Militar (PM) foi acionada para atender uma ocorrência de disparos de arma de fogo dentro da autoescola do acusado no dia 25 de outubro deste ano.

No local, os policiais encontraram as vítimas caídas no chão com perfurações causadas pelos tiros, mas Paulo já havia deixado o local.

Os militares fizeram rondas e buscas pela região e buscas pelo município, mas não encontraram o empresário.

Testemunhas informaram aos policiais que Eldes, cliente do estabelecimento, foi com o cunhado e advogado Thiago cobrar a liberação de sua CNH definitiva, que estava retida com Paulo.

Os três começaram a discutir e então Paulo teria atirado contra as vítimas e fugido em seguida.











(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

CHIRRÃO  11.12.19 16h02
PRESO ESTÃO OS MORTOS...

Responder

4
0

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO