17.01.2020 | 17h50


CORRIDA FATAL

Policial que passou mal e caiu durante a Corrida de Reis tem morte cerebral

Juraci Santos Duarte, de 40 anos, está internado há cinco dias em um hospital da Capital. Nesta sexta-feira foi dado o diagnóstico de morte encefálica, apenas o coração está batendo.


DA REDAÇÃO

O ex-candidato a deputado estadual de Rondônia e policial penal Juraci Santos Duarte, de 40 anos, teve morte encefálica (quando o cérebro para de funcionar) declarada nesta sexta-feira (17), após participar da Corrida de Reis, promovida pela TV Centro América, afiliada da TV Globo, no domingo (12), em Cuiabá.

Juraci passou mal durante o término da prova, quando caiu e bateu a cabeça. Ele foi internado em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI), do Hospital Municipal de Cuiabá (HMC), há cinco dias. Na segunda-feira (13), ele sofreu um Acidente Vascular Cerebral e passou por cirurgia de emergência.

No entanto, nesta sexta, foi dado o diagnóstico de morte encefálica, e apenas o coração está batendo.

A esposa de Juraci está na Capital, acompanhando o caso e, neste momento dois irmãos e uma irmã viajam de Vilhena (RO), cidade natal da vítima, para Cuiabá.

A família irá decidir, nos próximos dias, se autorizam os médicos a desligarem os aparelhos.

A Secretaria de Estado de Justiça (Sejus) de Vilhena lamentou a morte do policial.

“Neste momento de dor, a secretária de Justiça Etelvina Rocha e Servidores se solidarizam com seus familiares e amigos. Que Deus console os vossos corações”, diz a publicação.

O caso foi confirmado ao , pelo amigo da vítima.

Reclamações

Logo após o fim da competição de rua, participantes da Corrida de Reis fizeram criticas ao , sobre a organização da prova. Vídeo feito por expectadores mostra um corredor chegando exaurido à Arena Pantanal e desmaiando, por causa do calor de 38° no momento. Ele precisou de atendimento médico no local. Uma corredora reclamou que só foi ver água, a partir do KM 4,5 - veja vídeo aqui.

Outro lado

A direção de marketing da TV Centro América, responsável pela organização da prova, informou que a morte não está relacionada com a corrida em si, mas devido a falha do corpo humano, por causa do esforço feito por Juraci.

Segundo a TVCA, o corredor foi atendido sete minutos depois que começou a passar mal e, que a competição tinha duas ambulâncias e diversas equipes médicas. Além disso, todo o atendimento e acompanhamento foram prestados à vítima e sua família desde o ocorrido, o que é garantido no seguro atleta da Corrida de Reis. 

Nos dois primeiros exames, segundo a emissora, não foi identificado o AVC isquêmico, apenas no terceiro exame e, assim, dado tratamento pela equipe médica. 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO