03.11.2016 | 07h27


GERAL / SÓ BURACOS

Pesquisa aponta seis rodovias ruins e duas péssimas em Mato Grosso

Mato Grosso teve 4.731 quilômetros avaliados pela Confederação Nacional do Transporte (CNT). Apenas a MT-130, que liga Rondonópolis a Paranatinga recebeu avaliação ótima.


DA REDAÇÃO

Um relatório divulgado pela Confederação Nacional do Transporte (CNT) mostra que das 17 rodovias avaliadas em Mato Grosso, seis foram classificadas como ruins e duas como péssimas. Apenas a MT-130, que liga Rondonópolis a Paranatinga recebeu avaliação ótima, mas o trecho é pedagiado ao custo de R$ 8 por praça e recebe manutenção constante.

A Sinfra informou que todas as estradas estaduais que constam na pesquisa da CNT fazem parte do planejamento estratégico da secretaria e que devem passar por obras nos próximos anos.

Mato Grosso teve 4.731 quilômetros avaliados pela confederação. Aspectos como pavimentação, sinalização e geometria da rodovia foram verificados pela pesquisa. Do total avaliado, 56% da pavimentação asfáltica foi considerada desgastada.

A rodovia estadual MT-243, que possui apenas 11 km, que segundo a assessoria de imprensa da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra), é um trecho entre a MT-130 e a MT-270, foi classificada como péssima.

Outra rodovia estadual que recebeu a pior classificação foi a MT-246. Com 84 Km de extensão a estrada liga os municípios de Barra do Bugres e município de Jangada e é conhecida por ter grande fluxo de veículos, principalmente caminhões e carretas.

Classificadas como ruins estão as rodovias  MT-208,  que interliga os municípios de Nova Guarita, Carlinda. Alta Floresta, Nova Monte Verde, Nova Bandeirantes, Cotriguaçu, Aripuanã e Colniza; MT-240, que liga Tangará da Serra a Paranatinga; MT-255 que liga Nova Mutum à Campo Novo do Parecis; MT-320 que liga a capital ao Norte do estado; MT-243 que liga Cáceres à região Médio-Norte e MT-358 que liga Tangará da Serra à Campo Novo dos Parecis.

A Sinfra informou que todas as estradas estaduais que constam na pesquisa da CNT fazem parte do planejamento estratégico da secretaria e que devem passar por obras nos próximos anos. No momento as obras são descartadas em virtude da crise econômica que o país enfrenta.

A avaliação é referente a apenas das rodovias de Mato GRosso, que possui 4.009 km de estradas federais e 4.778 km de estradas estaduais.

No trecho avaliado, 32,5% das faixas estão com a pintura desgastada, e em 10% do trecho a faixa é inexistente.  Um total de 739 Km de rodovias estaduais foram avaliados como ruim e péssimo segundo o relatório da CNT. 

Pedagiadas

As rodovias BR-163 e BR-364 que são pedagiadas e de responsabilidade da consessionária Rota do Oeste receberam classificação regular conforme relatório da CNT. As duas rodovias são as principias vias utilizadas no estado para escoamento de grãos e também palco de diversos acidentes fatais envolvendo carretas e veículos de passeio como carro e moto.

Nestas rodovias existem sete praças de pedágio com valor que varia entre R$ 3,80 a R$ 7, dependendo do trecho e também do porte do veículo.

Reprodução

PESQUISA CNT.jpg

 Pesquisa divulgada pela CNT mostra situação das rodovias em MT. 











(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Gilston  03.11.16 09h13
Que vergonha. E o Pedro Taques tem a coragem de gastar rio de dinheiro com propaganda de que esta tudo bem.

Responder

1
4
Matéria(s) relacionada(s):

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO