07.07.2016 | 10h50


GERAL / MOVIMENTO ENFRAQUECIDO

Mais três categorias encerram greve pela RGA

Servidores da Ager, do Sistema Socioeducativo e investigadores da Polícia Civil já retornaram ao trabalho após cinco semanas de greve.


DA REDAÇÃO

Depois de 37 dias em greve pela revisão geral anual (RGA), três categorias decidiram encerrar a paralisação nesta semana. Na última terça-feira (05), a Associação dos Servidores Efetivos da Agência de Regulação dos Serviços Públicos Delegados do Estado de Mato Grosso (Asager) reuniu a categoria em assembleia, que deliberou pela suspensão da greve. Na quarta-feira (06), os serviços já voltaram à normalidade.

De acordo com James, que também é representante do Fórum Sindical, haverá uma reunião na próxima terça-feira (12), quando todos os presidentes das 32 categorias ligadas decidirão que medidas serão tomadas para cobrar do governo o pagamento integral da RGA.

No entanto, o presidente do sindicato, James Jaudy, ressalta que os servidores não estão satisfeitos com a RGA aprovada por meio da lei 10.410/2016, que estipula o pagamento de 7,36% parcelado em três vezes até abril do no que vem e condiciona o pagamento do restante à Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), com previsão de pagamento em duas vezes, em junho e setembro de 2017.

“Tendo em vista que muitas categorias retornaram da greve e irão, a partir de agora, brigar na Justiça por esse direito, nós do sistema socioeducativo também entendemos dessa forma e resolvemos colocar fim ao movimento grevista", disse o presidente do Sindpss.

De acordo com James, que também é representante do Fórum Sindical, haverá uma reunião na próxima terça-feira (12), quando todos os presidentes das 32 categorias ligadas decidirão que medidas serão tomadas para cobrar do governo o pagamento integral da RGA. Muitos sindicatos já ingressaram com processos na Justiça contra o Governo do Estado e essa é uma alternativa que a Asager também avalia, mas, segundo James, o sindicato vai seguir o que for determinado pelo Fórum Sindical.

Na quarta-feira (06), houve assembleia geral das categorias dos servidores do sistema socioeducativo e dos investigadores de Polícia Civil, que também decidiram colocar fim ao movimento paredista. “Tendo em vista que muitas categorias retornaram da greve e irão, a partir de agora, brigar na Justiça por esse direito, nós do sistema socioeducativo também entendemos dessa forma e resolvemos colocar fim ao movimento grevista e retornar a normalidade das atividades nas unidades do Estado”, explicou o presidente do Sindicato da Carreira dos Profissionais do Sistema Socioeducativo do Estado de Mato Grosso (Sindpss), Paulo César de Souza.

Durante a assembleia da categoria, os agentes socioeducativos resolveram transformar a comissão de greve em uma “comissão permanente de luta”, que deverá organizar as futuras mobilizações do sindicato na cobrança pela RGA.

Os investigadores de Polícia Civil também concluíram que fizeram tudo o que podia ser feito até a aprovação do projeto da RGA. Com isso, nesta quinta-feira (07), toda a categoria já voltou a desempenhar suas atividades nos postos de trabalho.  A categoria já ingressou no Tribunal de Justiça com um processo em que exige do governo o pagamento integral da RGA. No entanto, a primeira audiência de conciliação ainda não foi agendada.   











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO