02.03.2020 | 08h58


ESPORTES / DANÇA DAS CADEIRAS

Atlético-MG fecha com Jorge Sampaoli após demitir Dudamel

Após demissão de Rafael Dudamel, que durou menos de dois meses no cargo, argentino assume o Galo, mas não vai estrear diante do maior rival



Agora, sim! Dois meses após a negociação frustrada, a direção do Atlético-MG e o técnico Jorge Sampaoli chegaram a um acordo neste domingo. O treinador argentino acertou a contratação com a cúpula do Galo e assume a vaga, antes ocupada pelo venezuelano Rafael Dudamel. O vínculo será assinado formalmente nesta segunda-feira ou, no mais tardar, na terça pela manhã conforme apurou o GloboEsporte.com.

O acordo foi definido em encontro na casa do empresário Renato Salvador, líder de um dos grupos parceiros do clube na contratação. Após a publicação da notícia, Sérgio Sette Câmara, presidente do Atlético-MG, usou as redes sociais para oficializar a contratação de Jorge Sampaoli.

A estreia de Sampaoli no comando do Galo, inicialmente, seria diante do Cruzeiro, no próximo sábado, no Mineirão, pelo Estadual. Entretanto, o treinador só será apresentado oficialmente no início da próxima semana e, no clássico mineiro, a equipe alvinegra seguirá sob o comando do interino James Freitas.

Depois da eliminação na Copa do Brasil, para o Afogados-PE, a diretoria do Atlético-MG demitiu Dudamel, comissão técnica, além de Rui Costa, ex-diretor de futebol do clube, e Marques, que ocupava oposto de gerente de futebol. As demissões ocorreram na madrugada de quinta-feira, com a delegação ainda no interior de Pernambuco. Imediatamente após as saídas, o comando alvinegro retomou as conversas com Sampaoli, que esteve na mira do Galo no fim do ano passado.

Sampaoli estava na cidade natal, em Casilda, próximo a Rosário, em Santa Fe, na Argentina. Na manhã deste domingo, chegou a Belo Horizonte, após escala no Rio de Janeiro. Segundo o Blog do PVC, o Atlético-MG precisou contar com a ajuda de investidores para atingir os valores pedidos pelo argentino. Os custos serão de mais de R$ 1 milhão por mês para Sampaoli e sua comitiva.

O passo seguinte foi comandar a seleção chilena, que conquistou a Copa América de 2015 e quase surpreendeu o Brasil, nas oitavas de final, da Copa do Mundo de 2014, em pleno Mineirão. Em 2016, ele dirigiu o Sevilla, da Espanha, classificando o time para a Liga dos Campeões. Em 2017, Sampaoli foi confirmado como técnico da seleção argentina, levando os hermanos para a Copa da Rússia, em 2018. A fraca campanha do time de Messi no Mundial provocou a demissão do técnico após 15 jogos, com 7 vitórias, 4 empates e 4 derrotas.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO