24.05.2020 | 09h30


DIRETO AO PONTO / QUESTÃO MERCADOLÓGICA

Secretário critica testes rápidos e afirma que Estado não vai 'rasgar' dinheiro



Secretário de Estado de Saúde de Mato Grosso, Gilberto Figueiredo afirma que a venda de testes rápidos para covid-19 virou uma questão mercadológica e que o governo estadual não vai “rasgar” dinheiro. Ele afirma que os testes rápidos não têm a eficiência desejada, afirmando que possuem "baixa resolutividade". “Não vamos criar drive thru para rasgar dinheiro”.

Figueiredo afirma que todos os pacientes com sintomas de covid-19 que necessitam de atendimento médico, são testados. Destaca que o Laboratório Central do Estado (Lacen) tem capacidade para realizar 400 RT-PCR (do inglês reserve-transcriptase polymerase chain reaction), o considerado “teste ouro”, por dia. Nesta sexta-feira (22), no laboratório havia pouco mais de 120 testes pendentes.











(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Gilston  25.05.20 08h39
Se não vai rasgar dinheiro, então o por que da compra de saco pra defunto a cima da necessidade/ Aí tem.

Responder

1
0

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO