10.07.2020 | 15h23


CIDADES / COVID-19

Ferramenta de dados da Fiemt é estratégica para combate ao coronavírus em MT

A atividade é executada por meio da ferramenta Power BI, pela qual as medidas e cálculos exatos são feitos para identificar inconsistências



A expertise que Observatório da Indústria da Federação das Indústrias no Estado de Mato Grosso (Fiemt) com a compilação de dados tem contribuído estrategicamente com o enfrentamento da pandemia do coronavírus em Mato Grosso. Isso porque parte da equipe está trabalhando em parceria com a Secretaria Estadual de Saúde (SES) para reunir os dados enviados pelas administrações municipais e produzir gráficos que exploram o avanço da doença em cada região, revelando as dinâmicas locais.

A equipe da SES se dedica a realizar estatística em tempo real dos casos de covid-19 em todos os municípios de Mato Grosso. Já o Observatório reúne essas informações, juntamente com dados de internação e sobre a síndrome respiratória aguda grava (SRAGs), e as consolidam, fornecendo gráficos e tabelas que exploram como a doença avança em cada região do estado, disponibilizando um cenário atualizado da pandemia.

A atividade é executada por meio da ferramenta Power BI, pela qual as medidas e cálculos exatos são feitos para identificar inconsistências, validar a informação e automatizá-la. O acompanhamento desses dados de forma sistemática é importante, pois fornece uma visão detalhada de como os municípios se encontram em meio à pandemia. Assim, é possível traçar estratégias e ações para combater a covid-19 no estado.

“Não é tarefa fácil, já que estamos estruturando um sistema para monitorar a disseminação do coronavírus no momento em que tudo está acontecendo. É tudo muito novo. As unidades hospitalares já tinham o hábito de reunir e enviar as informações sobre atendimentos para a Secretaria de Saúde, mas não com essa velocidade diária e sistematizada que a pandemia exige”, explica o coordenador do Observatório, Pedro Máximo.

De acordo com ele, a SES está diante de um grande desafio de sistematizar e consolidar as informações. “Como fazer isso em um formato otimizado, com o uso da ferramenta do BI, e trazer esses dados de forma clara à sociedade, foi a razão da cooperação entre o Observatório da Indústria da Fiemt e a SES”.

Máximo cita que indicadores de taxa de ocupação e matriz de risco, por exemplo, foram construídos a quatro mãos — a partir da capacidade técnica dos colaboradores de cada instituição.

“São dados salvando vidas. Principalmente em relação à matriz de risco, que revela quais são os municípios mais suscetíveis e expostos aos riscos de não atendimento aos pacientes, que podem, como consequência, culminar em óbitos, devido ao colapso do sistema de saúde. Números que acabam alertando os prefeitos e autoridades sobre a postura e medidas que devem ser tomadas”, finaliza o coordenador.

Para o superintendente da Fiemt, Mauro Santos, além de auxiliar nas tomadas de decisão por parte dos gestores públicos, a ferramenta pode ainda orientar a atuação dos setores produtivos. “A informação gerada auxilia nas tomadas de decisão, visto que é muito importante atuar na minimização do avanço da pandemia e, ao mesmo tempo, manter a atividade econômica funcionando, com trabalho seguro, para a manutenção do emprego e renda da população”.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO