21.05.2019 | 08h58


FLAGRANTE NO CALÇADÃO

Rotam prende 6 colombianos por esquema de agiotagem junto a lojistas de Cuiabá

Os colombianos atuavam emprestando dinheiro a juros e cobrando lojistas, principalmente da região central da cidade. Eles foram flagrados no Calçadão Galdino Pimentel.


DA REDAÇÃO

Seis colombianos foram detidos por policiais do Batalhão de Rondas Ostensivas Tático Móvel (Rotam), pela prática ilegal de agiotagem em Cuiabá, na manhã de segunda-feira (20). O grupo atuava emprestando dinheiro principalmente para lojistas da região central de cidade e recebia os valores com juros.

A Rotam apreendeu a quantia de R$ 21 mil em dinheiro com o grupo. O líder do esquema, foi identificado como Juan Camilo Velazques Ruiz, 24 anos.

De acordo com o boletim de ocorrência, o crime foi descoberto após os policiais da Rotam notarem nervosismo de dois homens que estavam no Calçadão Galdino Pimentel. Ao ser abordada, com grande quantia em dinheiro, eles confessaram que eram agiotas e trabalhavam cobrando lojistas da região.

Eles também indicaram que foram trazidos da Colômbia para trabalhar para Juan Camilo. O líder tinha morava no condomínio Chapada dos Bandeirantes, no bairro Jordão. No local foram encontrados, dentro do lixo da cozinha, correntes de ouro, relógios e dinheiro. O material estava misturado em meio a restos de alimentos.

 Os outros colombianos foram localizados em um condomínio na região do Coxipó. Eles afirmaram que Juan Camilo os trazia da Colômbia e os deixava hospedados no apartamento recebendo R$ 500 por semana, para atuarem como agiotas em Cuiabá.

No local, foi descoberto que todos estavam em situação migratória irregular no Brasil. Eles também afirmaram que o mesmo sistema de agiotagem é feito por colombianos em outras capitais do país.

Todos receberam voz de prisão e foram encaminhados para a Central de Flagrantes, onde o caso foi registrado.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Matéria(s) relacionada(s):

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER