07.07.2018 | 09h24


VEJA VÍDEO DA PRISÃO

Advogado briga com PMs para defender colega que atropelou pedestres no CPA

Segundo a polícia, o advogado teria impedido o cumprimento de prisão de seu cliente. Associação dos Advogados Criminalistas alega que ele foi brutalmente agredido e que a polícia desrespeitou as prerrogativas da advocacia.


DA REDAÇÃO

Um advogado criminalista foi preso na noite desta sexta-feira (6), no bairro Morada da Serra, em Cuiabá, acusado de tentar obstruir a prisão de seu cliente. A associação que representa a classe, afirma que Luciano Carvalho de Nascimento foi brutalmente agredido pelos policiais.

Segundo a Polícia Civil, a Delegacia de Trânsito recebeu um chamado de atropelamento no bairro CPA IV. Ao chegar no local, os policiais ouviram testemunhas que informaram que um veículo Ford Fiesta havia atropelado Martiniano Cabral, 54 anos, que andava pela rua. Logo após, o motorista fugiu de forma perigosa sem prestar socorro à vítima.

A equipe da Deletran foi até a residência do proprietário do automóvel, no bairro Morada da Serra, onde identificou o veículo com as características descritas pelas testemunhas.

Ainda segundo a polícia, no local, Luciano Carvalho de Nascimento informou ser advogado do acusado, mas não apresentou carteira da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Ele teria tentado impedir a prisão de seu cliente, alegando não se tratar de flagrante delito, inclusive soltando um cachorro Pitbull, que avançou na direção dos policiais.

Diante da situação, foi solicitado o apoio dos policiais da Gerência de Operações Especiais (GOE), que entraram na residência e efetuaram a prisão em flagrante de Dyego Nunes da Silva Souza, 32 anos, acusado de ter atropelado o pedestre.  Os agentes do GOE pediram a chave do carro ao advogado, que recusou a entregar e, por isso, foi dado voz de prisão contra ele.

Na delegacia, o motorista se recusou a realizar o teste de bafômetro. Ele apresentou visível estado de embriaguez e estava com a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) vencida e o carro com licenciamento atrasado.

De acordo com a polícia, o advogado foi levado para o hospital após passar mal. O delegado do plantão, Guilherme Fachinelli, vai investigar os fatos.

Desrespeito

Em nota, a Associação Brasileira dos Advogados Criminalistas de Mato Grosso (Abracim-MT), disseram que a prisão do advogado, em exercício, sem a presença de um representante da OAB e foi um total desrespeito as prerrogativas da advocacia.

A Abracim cita que o advogado recebeu um chamado do seu cliente para comparecer na residência, porque estraria sendo acusado de atropelamento.

Chegando no local, ele havia se identificando como advogado, mas teria sido brutalmente agredido, algemado e levado na viatura preso até o Cisc Verdão pelos policiais do GOE, que, segundo a associação, não possuiam identificação funcional.

Na nota, a Abracrim disse que irá acompanhar o caso, junto com a OAB, para tomar todas as providências legais cabíveis.

Veja a íntegra da nota

Na noite do dia 06 de julho, em Cuiabá-MT, o advogado criminalista Luciano Carvalho do Nascimento recebeu um chamado de um cliente para comparecer na residência do mesmo porque estaria sendo acusado por um suposto atropelamento por parte dos policiais da Delegacia de Trânsito. 

Chegando na residência do cliente e se identificando como advogado, Luciano foi brutalmente agredido, algemado e levado na viatura preso até o Cisc Verdão pelos policiais do Grupo de Operações Especiais (GOE), que não possuiam visíveis qualquer identificação funcional e portando a todo momento balaclavas, impossibilitando qualquer reconhecimento e identificação civil. 

Mesmo com a chegada de uma comissão de advogados criminalistas e da presidente da Abracrim-MT, Michele Marie de Souza, os policiais continuaram agindo de forma truculenta com o nítido intuito de intimidar os presentes que estavam ali apenas para resguardar os direitos do advogado detido erroneamente. Sendo inclusive, proibidos de adentrar o interior do Cisc para acompanhar o procedimento da lavratura da prisão. 

Mais um caso da truculência da polícia do estado do Mato Grosso. A OAB e a Abracrim-MT acompanhará o caso de perto, tomando todas as providências legais cabíveis e assegurar a responsabilização das violações das prerrogativas diante dos órgãos competentes nas esferas administrativas, civis e criminais."

Veja o vídeo

 











(8) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Carlos  09.07.18 22h24
Lei Moral para adv não vale nada. A maioria são só aproveitadores $$, sem um pingo de respeito. Pra mim um profissão que vem sendo manchada pelo interesse no status e dinheiro e não pelo que pregão na faculdade... OAB deveria lei toda a noticia e entender todo contexto, e não só a história fiada desses cidadãos

Responder

7
0
Reginaldo  08.07.18 22h12
O Advogado foi preso sem a presença de um representante da OAB, portanto, teve seu direito violado. Prisão ilegal. Que a ordem tome providências para coibir tais ações. As prerrogativas devem ser respeitadas. Àqueles que criticaram o Advogado e a OAB/MT, espero que revejam seus conceitos, pois é essa classe profissional que luta pra defender nossos interesses em demandas processuais de todos os tipos e dificuldades, são a eles que recorremos quando temos nossos direitos violados, portanto, mais respeito a essa profissão tão essencial à administração da justiça. E a você que insiste em criticar, quando precisar de um Advogado procure pelo batman, quem sabe ele poderá assegurar a defesa de seu interesse em juízo. Sem mais. #advogadosumdiatodosprecisaremosdeum.

Responder

1
34
Mislene  09.07.18 12h46
Ser advogado sim, mal caráter não! Essa classe se julga melhores do mundo, intocáveis, esnobes, falam com as pessoas com aspereza e arrogância! Se acham Deus...oh coitados.....pobres mortais! #advocaciaentrandoemextinção.

Responder

21
0
Carlos  09.07.18 22h27
Lutam? Kkkk, sem 30% não existe luta nenhuma... esssa profissão já não é mais a mesma. Antigamente se via uma adv como Dr, hoje não é bem assim... prerrogativa de direito é uma piada...joga qualquer moralidade no lixo

Responder

8
0
Zion  08.07.18 13h04
Policia Civil.... e nao PM NESSA OCORRENCIA. DELETRAN E GOE DA PJC-MT. PARABÉNS A EQUIPA DA GOE "GERÊNCIA DE OPERAÇÕES ESPECIAIS ".. Não adianta querer botar medo nos policiais da GOE...ali só tem excelentes policiais, altamente treinados, e preparados para todas as situações que possam surgir na atividade policial. Não é um advogadinho de porta de cadeia, junto com um zero a esquerda da OAB, e essa porcaria da Abcrim que vai intimidar policiais calejados da vida. #cacarasempre. Força&Honra.

Responder

54
6
Servidor   07.07.18 18h21
Brincadeira agora pra prender precisa de autorização da OAB , polícia não tá valendo nada mesmo.

Responder

100
12
Assessor Jurídico   07.07.18 15h42
Com todo respeito à classe dos Advogados e a prestigiada OAB, a advocacia infelizmente possui profissionais muito ruins, alguns tentam fazer a defesa dos direitos de seus clientes no "grito" e com atitudes dignas de serem apresentadas no picadeiro de um circo. Como assessor vejo muitas vezes peças escritas por alguns "advogados" que dão muito pena das regras gramaticais da língua portuguesa, e justamente essas petições são aquelas que constam agressões as figuras dos magistrados, promotores e/ou delegados. Em outras ocasiões, os supostos advogados confundem as prerrogativas previstas no estatuto da OAB com a necessária obediência as leis a que todos estão submetidos, e tentam se impor pela arrogância e prepotência. Nesse caso, esconder a chave do veículo, para que o instrumento do crime não fosse submetido à perícia já demonstra a péssima qualidade desse "advogado". Contestar se a situação seria ou não estado de flagrante deveria ser feita na Delegacia, e nunca no local onde a polícia atuava. E também seria possível contestar a atuação policial com a medida judicial cabivel. A resistência do advogado contra os policiais já demonstra sua total incompetência e sua completa burrice. E por fim, fez o teatrinho básico dos idiotas, simulando estar sob um mal súbito, igual o ex Governador do Rio de Janeiro, Antony Garotinho. Infelizmente o maior prejudicado dessa situação foi o suspeito envolvido no acidente de trânsito, que procurou um profissional da advocacia para defender seus direitos, mas foi "assistido" por um pateta que se intitula "Advogado".

Responder

207
12
Advogado   07.07.18 18h17
Mesmo sendo Advogado, infelizmente, tenho que concordar contigo.

Responder

106
5

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER