13.02.2018 | 07h50


ATAQUES À GESTÃO

‘Sou governador e mereço ser criticado’, diz Taques sobre Mauro Mendes

O ex-prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes (PSB), afirmou que o governador Pedro Taques “não fez a lição de casa e, por isso, o Estado sofre com crise financeira e atrasos salariais”.


DA REDAÇÃO

O governador Pedro Taques (PSDB) disse respeitar as críticas feitas à sua gestão pelo ex-prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes (PSB), que afirmou que Taques “não fez a lição de casa e, por isso, o Estado sofre com crise financeira e atrasos salariais”.

“Quem sou eu para criticar a opinião dos outros. Sou governador e mereço ser criticado”, disse Taques, na semana passada.

“Quem sou eu para criticar a opinião dos outros. Sou governador e mereço ser criticado”, disse Taques, na semana passada.

Segundo o governador, as críticas do ex-prefeito não demonstram um afastamento do até então aliado.

"Mauro é nosso companheiro e ele tem direito a fazer críticas e obrigado pelas críticas. Nós vamos tentar consertar se porventura tivermos algum erro”, declarou.

“Na democracia todas as críticas são salutares. Mauro é nosso companheiro e ele tem direito a fazer críticas e obrigado pelas críticas. Nós vamos tentar consertar se porventura tivermos algum erro”, declarou.

Taques também afirmou não ver como traição a possibilidade de Mauro deixar a base aliada e buscar uma candidatura ao Governo, nas eleições de outubro.

“Não vejo como traição, nem um pouco. Quem cumprir os requisitos do artigo 14 da Constituição pode ser candidato e é direito de qualquer um entrar ou sair da base. Mas só vou falar de eleição depois da Semana Santa”, reafirmou o governador.

No início da semana passada, Mauro Mendes comentou que está analisando a troca partidária, com maior probabilidade de migrar para o DEM, mas que a nova filiação ocorrerá em tempo hábil para que possa ser candidato.

“Estou tranquilo para tomar uma decisão em 2018, primeiro de me filiar para ter a possibilidade de ser candidato. Depois, para qual cargo, pois temos cinco cargos que podem ser disputados este ano: para governador, dois para senador, deputado federal e estadual. Para todos há possibilidade, mas claro que sempre estive mais próximo de um cargo executivo, pois sou empreendedor”, disse o ex-prefeito.

Críticas ao governador

O ex-gestor não deixou de atacar o atual Governo, afirmando que boa parte da crise financeira pela qual passa o Estado é culpa do próprio Taques, que não teria previsto as dificuldades desde o início do mandato, em 2015.

“Houve crise em todo o país, mas ela acabou em 2017, quando o Brasil teve aumento no PIB [Produto Interno Bruto], aumento na geração de empregos e em impostos. Então, não dá para reclamar e jogar a culpa na crise. Isso é muito mais coisa de quem não fez a lição de casa. Cabe ao governador admitir os erros e dizer quem errou”, afirmou.

Ainda de acordo com Mauro, Taques ficar culpando o ex-governador Silval Barbosa pela crise é “conversinha fiada”. A principal acusação do governador contra a gestão de Silval é relativa aos aumentos salariais concedidos aos servidores públicos.

“Alguns problemas podem vir de longa data, mas ele deveria ter previsto esse problema grave, lá no início, e tomado medidas duras, na hora certa, pois com conversinha fiada e promessinhas não se administra. Quantos Estados estão com salários atrasados? Cinco, seis? Se fossem 20, tudo bem. Não dá mais para ficar com discurso de crise”, disse.











(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Cramulhão  13.02.18 09h33
É governador mas nunca deixou de ser promotor. Agiu o tempo todo como acusador. Teme ser acusado, por isso nada fez. Aquele lanho infame que corta Cuiabá e Vajú continua lá com sua boca aberta a rir dos matogrossenses. Nem um mísero dormente foi colocado. Precisamos de políticos corajosos e honestos. Volte ao MP seu Taques, lá é seu lugar.

Responder

1
0

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER