19.05.2019 | 07h50


3 MESES EM BRASÍLIA

Selma lidera gastos de cota parlamentar entre senadores de MT

Dados do Portal Transparência do Senado apontam que Selma gastou R$ 55 mil, Jayme Campos R$ 44 mil e Wellington Fagundes R$ 15 mil.


DA REDAÇÃO

A senadora Selma Arruda (PSL) foi quem mais gastou sua Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar (antiga Verba Indenizatória) entre os parlamentares de Mato Grosso no Senado Federal, conforme dados divulgados pelo Portal Transparência, refrentes aos meses de fevereiro a abril, para atuação em Brasília.

Conforme o portal, a senadora utilizou R$ 55, 9 mil de sua conta com gastos envolvendo viagens de avião, manutenção de escritório e divulgação da atividade parlamentar.

Em segundo lugar está o senador Jayme Campos (DEM), com R$ 42, 2 mil em uso da cota parlamentar entre os meses de fevereiro a abril.

Wellington Fagundes (PR) foi o parlamentar que declarou menor gasto, tendo utilizado apenas R$ 15,3 mil nos últimos três meses.

Juntos, os senadores de Mato Grosso declararam ter usado R$ 113,4 mil para o exercício da atividade parlamentar.

A Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar (CEAP) é uma cota única mensal destinada a custear os gastos dos deputados exclusivamente vinculados ao exercício da atividade parlamentar, com despesas como: passagens aéreas; telefonia; serviços postais; combustíveis; manutenção de escritórios de apoio à atividade parlamentar; e publicidade.

Os senadores de Mato Grosso têm direito a R$ 39, 4 mil de CEAP por mês.

Desde maio de 2011, que a verba indenizatória ganhou a atual nomenclatura de Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar.

Gastos em detalhes

No caso de Selma Arruda, chama atenção o uso da cota com "Divulgação da atividade parlamentar" e passagens aéreas.

Nos últimos três meses a parlamentar torrou mais de R$ 15 mil para divulgar sua atuação no Senado, sendo que só neste mês já foram desembolsados R$ 8 mil. Já com passagens o gasto foi de R$ 14, 6 mil.

A senadora também gastou R$ 13, 5 mil em aluguel de imóveis para escritório político.

Já o maior gasto do democrata Jayme Campos foi com passagens aéreas: R$ 20,3 mil, entre fevereiro e abril. Fevereiro foi o mês de maior gasto do senador, quando usou R$ 8, 2 mil de sua cota parlamentar para viajar entre Cuiabá-Brasília e Brasília- Cuiabá.   

O democrata também gastou com aluguel de imóveis para escritório político R$ (R$ 7,7 mil) e divulgação da atividade parlamentar - R$ 10 mil no mês de março.

O republicano Wellington Fagundes foi o mais econômico entre os senadores mato-grossenses. Nos primeiros meses de atuação no Senado, neste ano, ele gastou R$ 15,3 mil.

Sua maior despesa foi com aluguel de imóveis para escritório político: R$ 9,7 mil, em janeiro.

Nesse sentido, o principal valor é uma despesa de R$ 5, 5 mil de locação de uma sala comercial utilizada para atividade do senador no Estado. No Portal Transparência não há detalhes do endereço dessa sala ou em qual município ela estaria localizada.

Leia mais

Petista lidera gastos de cota entre deputados federais de MT

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Matéria(s) relacionada(s):

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER