08.02.2019 | 10h54


SEMANA QUENTE

Pedido de CPI e redução da Verba Indenizatória polarizam debates na Assembleia


DA REDAÇÃO

A primeira semana de trabalho começou quente na Assembleia Legislativa com a apresentação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) as sonegações e renúncias fiscais no estado de Mato Grosso, defesa de pagamento dos débitos com o Estado no cartão de crédito e ainda a proposta de redução de 50% da verba indenizatória dos parlamentares.

Na segunda-feira (4) o governador Mauro Mendes mandou sua mensagem na abertura dos trabalhos da Assembleia Legislativa, ele fez novamente referência a crise econômica vivida pelo Governo do Estado e voltou a pedir a ajuda dos deputados estaduais para superar o momento. A mensagem foi lida pelo secretário-chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho.

Na terça-feira (5) o deputado de primeiro mandato Ulisses Moraes (DC) apresentou ao Legislativo um projeto de redução das verbas indenizatórias dos deputados e servidores do alto escalão do parlamento estadual. Segundo ele, com a aprovação da proposta, a Assembleia poderia economizar mais R$ 57 milhões, em quatro anos.

A verba passaria dos atuais R$ 65 mil para R$ 32,5 mil. O projeto já está no sistema da ALMT e aguarda a primeira sessão ordinária que vai acontecer no dia 12 de fevereiro.

No mesmo dia, o deputado Wilson Santos (PSDB) apresentou a proposta de abertura da primeira CPI no Parlamento Estadual na atual legislatura. O deputado quer investigar as renúncias fiscais do Estado e casos de sonegação. O tucano já conta com nove assinaturas em seu requerimento, o número para abertura seria de oito deputados.

De acordo com o parlamentar, assinaram o pedido de abertura da CPI os deputados Elizeu Nascimento (DC), Valdir Barranco (PT), Lúdio Cabral (PT), Janaina Riva (MDB), Doutor João (MDB), Thiago Silva (MDB), Delegado Claudinei (PSL), João Batista (Pros) e o próprio Wilson Santos.

Ainda na terça teve a despedida de Allan Kardec (PDT) da AL, ele se licenciou do mandato para ser secretário de Cultura, Turismo, Esporte e Lazer na gestão do governador Mauro Mendes.

Já na quarta (7) teve a posse de Romoaldo Júnior (MDB) no lugar de Allan, ele assumiu o 6° mandato como deputado estadual. A cerimônia aconteceu na Sala de Reuniões da Presidência da ALMT.

Também na quarta o deputado Delegado Claudinei (PSL) em visita ao presidente do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MT), Gustavo Vasconcelos, o parlamentar disse que apoia a ideia do Governo do Estado de parcelar, por meio do cartão de crédito as dívidas com o Governo do Estado, incluindo o IPVA, por exemplo. O presidente do Detran disse que o assunto já está em fase final de debate e que há uma sinalização positiva para sua implantação.

Além disso, a semana foi de intensas articulações nos bastidores por conta da decisão do ministro Edson Fachin liberando a indicação de um novo nome para ocupar a vaga deixada por Humberto Bosaipo no Tribunal de Contas de Mato Grosso (TCE-MT). 











(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

ana  09.02.19 15h23
não adianta REDUZIR precisa COMPROVAR onde foi gasto

Responder

0
0
Matéria(s) relacionada(s):

Enquete

GESTÃO

Como você define o governo de Mauro Mendes, até agora?

Excelente: MT foi destruído por governos anteriores

Bom: Está enfrentando problemss que ninguém quis enfrentar

Ruim: Não faz reformas de verdade e culpa o servidor

Péssimo: Vai conseguir ser pior que Silval e Taques

  • Parcial

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER