20.03.2017 | 16h27


CONFIRA

Maggi divulga lista de frigoríficos sob suspeita de irregularidades

Os nomes das empresas foram divulgados junto com os respectivos CNPJs, SIF’s, produtos fabricados e destino de suas mercadorias.



O Ministro da Agricultura, Blairo Maggi (PP), divulgou na tarde desta segunda-feira (20), a lista das empresas citadas na Operação Carne Fraca. Todos as 21 empresas são de três estado somente: Paraná, Santa Catarina e Goiás. Nenhuma de Mato Grosso (confira aqui).

Maggi divulgou a lista, em sua página Facebook, nesta segunda conforme tinha prometido ontem, após reunião no domingo (19), com o presidente Michel Temer, ministros de governo e embaixadores de países importadores de carne brasileira, realizada para debater as consequências geradas pela operação.

O ministro disse em sua página do facebook que “transparência é extremamente necessária. Vamos colaborar com o que for necessário com as investigações da #operaçãocarnefraca”.

“Transparência é extremamente necessária. Vamos colaborar com o que for necessário com as investigações da #operaçãocarnefraca”, citou Maggi em sua página do Facebook.

 

Para confirmar a transparência, os nomes das empresas foram divulgados junto com os respectivos CNPJs, SIF’s, produtos fabricados e destino de suas mercadorias.

Maggi reforçou que os frigoríficos que comercializaram carnes de forma irregular passarão por um rígido controle de atuação.

“Estamos sendo rigorosos, efetivos e rápidos, não iremos passar a mão na cabeça de quem fez coisa errada. Nada sairá desses frigoríficos sem autorização expressa de nossos auditores, que estão trabalhando em regime de rodízio. Desde que foi deflagrada a operação, interditamos três frigoríficos e afastamos os 33 técnicos agropecuários citados”.

Prejuízos

O governo brasileiro e o setor do agronegócio estão preocupados com as possíveis consequências negativas da Operação Carne Fraca sobre o comércio da carne brasileira. O Brasil é um dos maiores exportadores do mundo do setor.

Nesta segunda-feira, União Européia, China e Coreia do Sul anunciaram que irão suspender temporariamente a importação da produção brasileira até que o país preste esclarecimento sobre o caso.

Mato Grosso pode ser um dos estados mais afetados com a suspensão da compra de produtos de origem animal, já que é o maior produtor de gado do Brasil, com aproximadamente 29,2 milhões de cabeças, sendo responsável por 25% das exportações brasileiras. 

 

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER