13.11.2018 | 08h18


MAX CAMPOS

A relevância da defesa sanitária para o agro

O conjunto da agropecuária desempenha um papel de grande importância no cenário da economia nacional.

O Instituto de defesa agropecuário INDEA-MT, foi criado a partir da Lei n º. 4.171 de 31 de Dezembro de 1979, o Instituto é vinculado atualmente a Secretaria de desenvolvimento econômico -SEDEC, e é o executor de Defesa Agropecuária em Mato Grosso. 

As ações do Instituto de Defesa Agropecuária do Estado promovem a prevenção, o controle e a erradicação das pragas e doenças de animais e vegetais que contemplam interesses socioeconômicos para este Estado e são o tema de um extenso trabalho desempenhado pelos seus servidores ao longo de mais de 35 anos.

E uma das nossas lutas foi adquirir a confiança do nosso cliente, tratou-se de um processo de conquista, que envolveu muita educação sanitária, comunicação e energia. Esse talvez tenha sido o maior ganho da defesa agropecuária nesses anos todos, a conquista da confiança do produtor e do industrial da agropecuária. 

As campanhas de combate as enfermidades também tiveram mudanças significativas durante esse período, porém a não existência é a conseqüência de um grande trabalho da cadeia produtiva, seja ela agrícola ou pecuária. 

Existe no nosso meio uma máxima - "mais importante que ser livre de uma enfermidade é continuar livre dela". Manter a condição sanitária é mais difícil do que receber o reconhecimento de livre. Mato Grosso é o Estado do Agronegócio e tem papel importante na exportação de grãos e carne. Recebe anualmente missões nacionais e internacionais de auditoria. 

Vale destacar o trabalho dos profissionais do INDEA e a parceria com os órgãos nacionais e internacionais. Esse é um trabalho heróico, frente as dimensões do nosso estado, com o grande número de municípios e de Estados e um país como vizinhos e a diversidade de produção, só um grupo como o do INDEA para conseguir tal resultado. 

O processo de parceria é fundamental para o nosso trabalho. Ter as entidades que representam a produção, os órgãos afins e a sociedade como um todo como parceiros é o nosso grande diferencial. Os resultados obtidos são frutos dessa integração, pois sozinho ninguém alcançaria resultados tão imensos. Destaca-se aí o FASE,FESA,FAMATO,ACRIMAT,AMPA e outras entidades porém o maior contribuinte pela sanidade é o próprio produtor rural. 

Como poderíamos manter nossa condição sanitária na divisa com a Bolívia sem a parceria com os produtores daquele país? Como poderíamos capacitar nossos colegas sem a parceria com o Mapa e os Organismos Internacionais? Como manter o produtor informado sem a parceria com a imprensa? Como manter a integridade de nossas condições sanitárias sem o apoio maciço dos produtores? 

O trabalho de fiscalização do trânsito de produtos e subprodutos de origem animal e vegetal é um dos mais importantes no trabalho da defesa agropecuária, pois é ele que nos dá a dimensão do que está acontecendo na dinâmica da produção, é ele quem nos indica o que fazer para deter as possíveis arbitrariedades dos produtores e da indústria da agropecuária. 

Hoje uma das dificuldades que a autarquia enfrenta é justamente em promover a capacitação e aperfeiçoamento dos recursos humanos na área de defesa agropecuária, pois como outros órgãos e autarquias sofreram com o contingenciamento de recursos que levam o servidor a um aperfeiçoamento contínuo através de cursos e reciclagem. 

Hoje há uma cobrança por parte do pequeno ou grande produtor (agricultura familiar e grandes produtores e uma coisa só - inserido no Agronegócio) aos servidores do Indea uma prestação de serviço exemplar, o que em sua maioria é atendido, entretanto desconhece que se o servidor deseja realmente contribuir com a sociedade tem procurado recursos próprios para se atualizar, estudar se aperfeiçoar. 

Esses trabalhos mencionados o próximo governo deve reconhecer como um dos mais valorosos para a economia Mato-grossense, haja vista o PIB (Produto Interno Bruto) estar atrelado até o tutano ao agronegócio pois mais da metade do PIB interno Estadual advém do Agronegócio. Inclusive debater sobre um assunto delicado porém em voga hoje que é a taxação do Agro que deve ser bem aprofundado pormenorizado com profundo saber. 

A sociedade civil deve ter conhecimento que o Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso – INDEA/MT executa atividades em todos os segmentos agropecuários, tais como: Defesa Sanitária Animal, Defesa Sanitária Vegetal, Fiscalização do Comércio e Trânsito de Agrotóxicos, Inspeção de Produtos e Subprodutos de Origem Animal e Fiscalização do Transito de Animais, Vegetais e seus Produtos e Subprodutos, comercialização de sementes e mudas, Agrotóxicos e Madeiras. 

A atividade de fiscalização é desenvolvida ininterruptamente, durante todo o ano, em postos de fiscalização localizados nas fronteiras com os Estados vizinhos ao nosso Estado. 

Além dos postos de fiscalização o INDEA/MT atua em sete barreiras sanitárias localizadas na fronteira com a Bolívia (Marphil, Ponta do Aterro, Fortuna, Avião Caído, Las Petas, Corixa e Corixinha). Efetua ainda a vacinação contra febre aftosa no rebanho bovino na região de fronteira com a Bolívia. 

O serviço de fiscalização é imprescindível para garantir a sanidade animal e vegetal, salvaguardando a economia do Estado, bem como para cumprir exigências de Convênios firmados com a União.

A campanha de vacinação contra Febre Aftosa é coordenada pelo Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (Indea-MT), instituição vinculada à Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (SEDEC-MT), e a Superintendência Federal de Agricultura no Estado de Mato Grosso (SFA/MT) do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento e pelo Fundo Emergencial de Saúde Animal (Fesa). Mato Grosso é reconhecido mundialmente como livre de febre aftosa com vacinação pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) há mais de 15 anos. 

O conjunto da agropecuária desempenha um papel de grande importância no cenário da economia nacional, com a facilidade de obter insumos para uma agricultura sustentável tudo se torna mais viável ao setor, com uma vasta área de opções o agricultor e o pecuarista levam vantagem em escolher ou vender produtos para lavoura e o gado.

Vários fatores favorecem o crescimento dos produtos agropecuários, tais como grãos, carnes, frutas, ovos, leite, dentre outros que abastecem o mercado interno e externo. 

Com uma área verde extensa o Brasil leva vantagem e tem uma excelente produção rural, com a terra bem fertilizada e com verbas liberadas para o investimento, isso leva a uma produção crescente, fazendo com que os produtos agropecuários desempenhem um papel importante na economia nacional tanto na geração de renda como emprego cabendo ao INDEA manter a sanidade dos alimentos que o Brasileiro e o Mato-grossense levam a sua mesa.

Estamos nos preparando já a partir de 2019 até 2021 para a retirada de vacinação contra aftosa garantindo com isso um maior reconhecimento internacional da qualidade da nossa proteína animal aqui produzida abrindo novos mercados ainda inexplorados para fomentar ainda mais nossas exportações. E como estamos nos preparando para isso em termos de pessoal,infraestrutura,logística e investimento? 

CONTINUA... 

MAX CAMPOS é Servidor Público Estadual e Articulista Político. 

Os artigos assinados são de responsabilidade do autor, não apresentando, portanto, a opinião do site ReporterMT.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.


Confira também nesta seção:

Enquete

GESTÃO

Como você define o governo de Mauro Mendes, até agora?

Excelente: MT foi destruído por governos anteriores

Bom: Está enfrentando problemss que ninguém quis enfrentar

Ruim: Não faz reformas de verdade e culpa o servidor

Péssimo: Vai conseguir ser pior que Silval e Taques

  • Parcial

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER