17.06.2019 | 20h35


OPERAÇÃO MANTUS

MPE pede leilão de bens e perda de R$ 200 mil apreendidos na casa de João Arcanjo

Entre os imóveis do ex-comendador estão o Colibri Palace Hotel, Estaciona Parking e a sede do Grupo FMF.


DA REDAÇÃO

O Ministério Público Estadual (MPE) solicitou em ação movida contra o bicheiro João Arcanjo Ribeiro que os bens sequestrados na Operação Mantus sejam leiloados. A finalidade é reparar os danos ao erário por crimes de lavagem de dinheiro e contravenção penal do jogo do bicho.

Em nome do bicheiro, estão bloqueados os imóveis Colibri Palace Hotel, que fica em Tangará da Serra, o Estaciona Parking, em Cuiabá, e a sede do Grupo FMF, também na Capital.

Além disso, os R$ 200 mil encontrados pela Polícia Civil, em uma mala, na casa de Arcanjo, no dia da prisão do bicheiro, devem ser revertidos aos cofres públicos - veja mais aqui.

RepórterMT/Reprodução

mala dinheiro.jpg

Mala de dinheiro encontrada na casa de João Arcanjo

 

“Requer que seja decretada a perda em favor do Estado a perda de todos os bens móveis e imóveis objeto de sequestro neste feito, promovendo a respectiva venda e apuração do resultado em dinheiro”, solicita MPE.

Na denúncia, o MPE, por meio do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), também ofereceu na sexta-feira (14) duas denúncias relacionadas à Operação Mantus, que desarticulou esquema de jogo do bicho no Estado. A primeira contra integrantes da organização Colibri e a segunda contra a ELLO / FMC.  Ao todo, 33 pessoas foram denunciadas.

Conforme o Gaeco, as duas organizações disputavam espaço desde 2017. Na primeira denúncia, 14 pessoas, entre elas João Arcanjo Ribeiro e seu genro, Giovanni Zem Rodrigues, vão responder pelos crimes de organização criminosa, contravenção penal do jogo do bicho, extorsão, extorsão mediante sequestro e lavagem de dinheiro.

 

Além dos dois, apontados como líderes da organização Colibri, também foram denunciados Noroel Braz da Costa Filho, Mariano Oliveira da Silva, Adelmar Ferreira Lopes, Sebastião Francisco da Silva, Marcelo Gomes Honorato, Agnaldo Gomes de Azevedo, Paulo César Martins, Breno César Martins, Bruno César Aristides Martins, Augusto Matias Cruz, José Carlos de Freitas, vulgo “Freitas” e Valcenir Nunes Inerio, vulgo “Bateco”.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER