11.01.2019 | 20h35


R$ 2,8 MILHÕES

Em menos de 24 horas, Estado contrata e rescinde acordo para empresa gerir Samu

Segundo a Secretaria de Saúde, a empresa contratada não disponibilizou as equipes médicas necessárias” para atuar no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência.


DA REDAÇÃO

O secretário de Estado de Saúde (SES), Gilberto de Figueiredo, rescindiu o contrato com a Med Security Serviços Médicos – EPP, que iria gerir o Samu [Serviço de Atendimento Médico de Urgência]. O rompimento do acordo foi publicado no Diário Oficial de Mato Grosso que circulou nesta sexta-feira (11), menos de 24 horas após o anúncio da contratação da empresa pelo valor de R$ 2, 8 milhões.

Ao , a SES justificou, por meio de nota, que a rescisão contratual se deu porque “a Med Security não disponibilizou as equipes médicas necessárias” para atuar no Samu.

A secretaria ressaltou ainda que a rescisão não causou nenhum tipo de dano ao erário público, “pois nenhum valor dos R$ 2,8 milhões foi repassado à empresa”.

O Serviço de Atendimento Médico de Urgência passa por uma grave crise na baixada cuiabana que envolve os municípios de Cuiabá, Várzea Grande e Chapada dos Guimarães. Sessenta médicos estão há seis meses sem receber, além da péssima condição de trabalho devido a “falta de medicações básicas, luvas para o atendimento inicial, macas e ambulâncias”. 

Revoltados, eles decidiram paralisar as atividades na grande Cuiabá durante a noite de quinta-feira (10) e madrugada desta sexta-feira (11). Segundo uma fonte do , as ambulâncias operaram em Cuiabá e Várzea Grande apenas com os motoristas e enfermeiros - o que representa um grande risco no atendimento de ocorrências mais graves.

Ainda de acordo com a assessoria do Governo, ficou definido que os médicos que prestam serviço ao Samu serão contratados, de maneira emergencial, diretamente pela Secretaria de Estado de Saúde. A decisão foi tomada na noite desta sexta, durante uma reunião entre o secretário da pasta os trabalhadores. 

Com isso, o Governo informa que os serviços do Samu serão imediatamente retomados ainda hoje na Grande Cuiabá.

Leia mais

Governo faz contrato emergencial para empresa gerir serviços do Samu em MT

Equipe do Samu ameaça demissão em massa em Cuiabá

 

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Matéria(s) relacionada(s):

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER