15.08.2019 | 09h53


VEJA O VÍDEO

Um tem 18. Outro, 47. Os dois namoram e a internet foi abaixo

Os dois são namorados e causaram uma celeuma na internet ao narrarem a história do relacionamento.



Gabriel tem 18 anos. Flávio, o namorado, tem 47. Os dois moram na região da avenida Paulista, em São Paulo. Divulgam imagens juntos no Instagram, como qualquer casal. A vida conjunta do casal seguia na normalidade, até ser sacudida pelas forças da internet.

Na última semana, Gabriel Mallet e Flávio Chevis divulgaram um vídeo no YouTube com a história de como se conheceram. Falaram especialmente sobre a diferença de idade entre eles: 29 anos. Enquanto Gabriel saía do Ensino Médio e da casa da avó, o economista Flávio era abertamente homossexual há mais de 20 anos.

O vídeo desencadeou um debate sobre a diferença de idade em um relacionamento, com palpites fervorosos que foram contra e a favor do relacionamento. "Desculpa, mas não consigo romantizar uma pessoa de quase 50 anos com outra de 18", escreveu uma mulher.

"Todo mundo sabe que, com 18 anos, não se tem a maturidade de uma pessoa adulta e vivida", destacou outra. Por outro lado, teve também quem defendeu. "Quanto comentário tóxico! Desejo tudo de melhor para vocês <3"

Segundo o vídeo, o relacionamento começou quando Gabriel tinha 17 anos. Os dois se conheceram no Tinder e se aproximaram após um reencontro no Grindr. O namoro foi oficializado no fim de 2018, quando Gabriel completou 18 anos e saiu da casa da avó, em São Paulo, onde vivia desde os 16 anos para fugir da homofobia na família. Foi quando ele passou a viver com o economista. Universa tentou entrevistá-los, mas não obteve retorno.

Não é incomum encontrar casais com idades muito diferentes. Nos comentários ao vídeo tem até quem defenda uma cultura na qual os homens mais velhos tentem superar o drama do envelhecimento buscando parceiros mais novos -- mais ou menos o que acontece entre casais héteros. Mas por que isso acontece?.

"A teoria freudiana fala que pessoas mais novas projetam em parceiros mais velhos a figura de segurança dos pais", explica a terapeuta de casais Rosângela Matos, a partir da teoria psicanalítica desenvolvida por Sigmund Freud (1856-1939). "Mas um problema real que pode acontecer é viver [a relação] em momentos diferentes da vida. Enquanto um quer sair, curtir a vida, o outro pode estar mais preocupado com a jornada de trabalho e os estudos", explica.

Para o sexólogo e psicólogo Mahmoud Baydoun, pode mesmo haver divergência de agenda entre os dois. Mas, se o casal está bem com isso e a relação não configura um crime, não há problema. Para ele, o estranhamento está no olhar de quem vê.

"As pessoas têm preconceito porque vivem numa sociedade que cria padrões e normaliza certos tipos de relacionamento, em detrimento de outros", diz. Segundo ele, nisso se encaixam casais com idades muito diferentes, do mesmo sexo e até de rendas desiguais. "As pessoas podem se amar e se relacionar livremente independentemente de sexo e diferença de idade", diz.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Enquete

ABUSO DE AUTORIDADE

Você concorda com aprovação da Lei para punir juízes?

Concordo: MP e Juízes erram muito e prejudicam pessoas de bem

Não concordo. A aprovação da lei é que é um abuso

Bolsonaro deveria vetar a lei

Bolsonaro deve sancionar a lei

  • Parcial

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER