16.02.2020 | 10h26


VARIEDADES / NOVA NOVELA DA GLOBO

'Salve-se Quem Puder' é assustadoramente idiota

Até o momento, nada se salva, com exceção dos números de audiência, ótimos para o período



Novela inovadora, com um elenco de primeira, "As Filhas da Mãe" (2001-2002) é um dos maiores fracassos de Silvio de Abreu. Exibida na faixa das 19h, foi encurtada radicalmente e terminou com apenas 125 capítulos, deixando o autor com um gosto amargo na boca.

"O que me assustou não foi o fato de que o povo não estava gostando da novela, mas sim de que ele não estava entendendo. O que para as classes A e B é estimulante e positivo, para a D é incompreensível", disse Abreu à Folha, numa famosa entrevista publicada logo após o fim da novela.

Em outro trecho, Abreu disse: "Hoje não se diz que a programação é boa ou ruim. Isso, para nós que fazemos TV com responsabilidade, é desesperador, porque o truque barato é que garante o sucesso".

E mais: "Se eu tivesse direcionado a novela às classes D e E, teria conseguido audiência melhor. O país não permite que o nível intelectual melhore, mas proporciona melhor nível econômico a uma imensidão de gente que se tornou interessante para a TV porque consome sandalinha, biscoito, cerveja e móveis pagos em 538 prestações".Luna (Juliana Paiva), Alexia (Deborah Secco) e Kyra (Vitoria Strada), protagonistas de "Salve-se Quem Puder" (Globo) - Paulo Belote/TVGlobo

Abreu, como se sabe, parou de escrever novelas em 2013 e no ano seguinte se tornou diretor de teledramaturgia da Globo, com o poder de selecionar os autores e as tramas que vão ao ar. Muitas de suas escolhas parecem ser reflexo do trauma causado por "As Filhas da Mãe".

É o caso, por exemplo, de "Salve-se Quem Puder", nova novela das 19h, que estreou há três semanas. É de autoria de Daniel Ortiz, um pupilo seu, que se especializou em tramas leves e populares.

O ponto de partida é o assassinato do juiz Vitorio (Ailton Graça), que estava colocando na prisão empresários e políticos acusados de corrupção. Três mulheres testemunham o crime e, por isso, entram para o programa de proteção a testemunhas da Polícia Federal.

A aparente seriedade da premissa serve para o autor desenvolver uma história mirabolante, muito infantil, na qual as personagens apenas repetem clichês e gritam. "Truques baratos", como lamentou Abreu em 2002, têm dado a tônica de todas as cenas, sem exceção. É uma novela assustadoramente idiota.

Até o momento, nada se salva, com exceção dos números de audiência, ótimos para o período.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

Enquete

QUARENTENA

Você é a favor de parar tudo ou só isolar grupo de risco?

Sim, parar tudo é a melhor solução para conter o vírus

Não, parada total é suicídio econômico; será o caos pior que a doença

  • Parcial

INFORME PUBLICITÁRIO