19.02.2020 | 07h23


VARIEDADES / VEJA VÍDEO; IMAGEM FORTE

Homem joga cachorro de uma altura de 4 metros sobre o portão de casa

Animal foi arremessado duas vezes. O proprietário alegou ter ficado nervoso depois que o animal começou a morder as pessoas da casa



Um ato de irracionalidade praticado contra um cachorro na capital paulista revoltou a internet na segunda-feira (17). Bob, um vira-latas de 4 anos, foi arremessado duas vezes neste domingo (16) por seu dono, um ajudante de mercearia de 28 anos, sobre o portão da casa em que ele mora, no Parque Lucas, Zona Oeste de São Paulo.

Registrada por câmeras de monitoramento, a cena foi divulgada nas redes sociais. O rapaz justificou a atitude como uma reação descontrolada ao comportamento do cão, que teria mordido o pé da mulher dele.

Arremessado de dentro da garagem, Bob cai na rua de uma altura de quatro metros em dois momentos. Da primeira vez, fica visivelmente atordoado, mas volta à residência do proprietário. Segundos após o retorno, as imagens mostram o cachorro sendo jogado novamente. 
 
A repercussão do vídeo fez com que o ajudante fosse procurado por ativistas de uma ONG de proteção animal e encaminhado ao 42º DP Parque São Lucas. À Polícia, ele admitiu a violência contra o cão, adotado há pouco mais de dois anos pela família. 
 
De acordo com o rapaz, Bob ficou agressivo no último ano e passou a morder as pessoas da casa. Nervoso com o ataque à esposa, o ajudante então lançou o pet à rua, para que ele fosse embora. 
 
O suspeito foi liberado pela polícia depois assinar um Termo Circunstanciado de "ato de abuso de animais". Sem ferimentos, Bob, agora, está sob a tutela de uma ONG de resgate.

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

Enquete

QUARENTENA

Você é a favor de parar tudo ou só isolar grupo de risco?

Sim, parar tudo é a melhor solução para conter o vírus

Não, parada total é suicídio econômico; será o caos pior que a doença

  • Parcial

INFORME PUBLICITÁRIO