24.03.2020 | 11h48


VARIEDADES / PREOCUPAÇÃO

Festa de noivado de classe alta pode ter espalhado coronavírus, diz revista

Muitos dos convidados tinham vindo de países do exterior e uma das infectadas, socialite carioca de 71 anos, morreu na segunda-feita



Rio - Uma festa de noivado da alta sociedade carioca, realizada no bairro Jardim Botânico, no Rio de Janeiro, pode ter sido um dos focos de propagação do coronavírus na cidade. As informações são da revista Época, que afirmou que pelo menos 37 pessoas presentes no local tiveram sintomas da doença.
 
O noivado entre Pedro, filho do príncipe Alberto de Orléans e Bragança, e Alessandra Heagler ocorreu no dia 7 de março, cerca de dez dias após a confirmação do primeiro caso de Covid-19 no Brasil.
 
Entre os 70 convidados, havia pessoas que viajaram à Itália, Estados Unidos e Bélgica. Avô e pai da noiva estão entre os hospitalizados e não há informação sobre o estado de saúde deles. O casamento está planejado para o mês de outubro.
 
Segundo a publicação, uma das convidadas, a socialite Mirna Bandeira de Mello, de 71 anos, teria apresentado sintomas e morrido internada em um hospital particular da cidade na madrugada desta terça-feira (23). O nome dela ainda não foi registrado entre os dados oficiais do governo. Até o momento, o estado do Rio registrou oficialmente quatro mortes.










COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO