16.02.2020 | 12h20


VARIEDADES / POST NO INSTAGRAM

Ex-empresário de Gugu quebra o silêncio sobre briga por herança



Gustavo Coimbra, que foi empresário de Gugu até sua morte, em 22 de novembro de 2019, quebrou o silêncio e comentou pela primeira vez sobre a batalha judicial que rola entre a família do comunicador, sua viúva, Rose Miriam, e Thiago Salvático, suposto companheiro do apresentador.

O rapaz publicou uma foto ao lado de Gugu e escreveu: “Nada e nem ninguém vai abalar seu legado e o exemplo de ser humano que você foi. Você sempre praticou o bem, ajudou milhares de pessoas pela frente e por trás das câmeras. Honesto, generoso e de um coração gigantesco. Tenho muito orgulho da nossa amizade e agradeço a Deus todos os dias por ter tido a oportunidade de ter estado ao seu lado em muitos momentos ao longo de mais de vinte anos. O Brasil te ama e o bem sempre prevalece!”.

Gustavo publica diversas lembranças ao lado de Liberato, desde viagens, em momentos de lazer, até trabalhando nos bastidores da TV.

ENTENDA O CASO

Gugu Liberato morreu no dia 22 de novembro, aos 60 anos de idade, e deixou três filhos, João Augusto, de 18 anos, Sofia e Marina, as gêmeas de 15. Após a morte do apresentador, Rose Miriam, companheira do comunicador, entrou na Justiça para que a união estável com o apresentador fosse reconhecida e assim ela possa ter direto à herança dele.

De acordo com o advogado Nelson Wilians, que representa Rose, o inventário havia sido aberto, mas a médica e as filhas menores do casal não tinham informações sobre o patrimônio e a administração dos bens.

Segundo o profissional, além de companheira de Gugu, por quase duas décadas, Rose também é a representante legal de Sofia e Marina, que ainda não menores de idade.

A Catraca Livre leva para as ruas a campanha #CarnavalSemAssédio, que visa acabar com abusos durante a folia. Com a parceria da Rua Livre e da Prefeitura de São Paulo e apoio da 99, além de conteúdos que promovem o debate sobre o problema, a campanha criou a ação Anjos do Carnaval, que oferece orientação, acolhimento e atendimento psicossocial a mulheres e LGBTs vítimas de assédio. Vem entender como você pode fazer um #CarnavalSemAssédio!

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

Enquete

QUARENTENA

Você é a favor de parar tudo ou só isolar grupo de risco?

Sim, parar tudo é a melhor solução para conter o vírus

Não, parada total é suicídio econômico; será o caos pior que a doença

  • Parcial

INFORME PUBLICITÁRIO