08.10.2019 | 10h18


"ESTOU DEBILITADA"

Cantora Alanis Morissette revela que está com depressão pós-parto

Mãe de três, já é a segunda vez que a cantora enfrenta a doença



Alanis Morissette usou seu perfil no Instagram, na última segunda-feira, 7, para fazer um desabafo aos seus internautas. A cantora revelou que, após a terceira gravidez, está mais uma vez enfrentando depressão pós-parto.

Aos 45 anos, a artista fez um longo texto falando sobre o que está passando desde que deu à luz Winter Mercy, com o marido Mario “Souleye” Treadway, no dia 12 de agosto.

 

 

“Eu não tinha certeza se eu teria depressão / ansiedade pós-parto desta vez. Existem tantos tentáculos nessa experiência. Vou quebrá-los com o tempo, tenho respostas, protocolos e soluções e RX para ter certeza”, escreveu. “Hormonal. Privação do sono. Nebulosidade. Dor física. Isolamento. Ansiedade. Cortisol. Recuperação do parto (tão bonito e intenso quanto o meu foi em casa, o nascimento dos sonhos), integrar um novo bebê anjo com um bebê anjo mais velho. Casamento. Todos os tipos de gatilhos do TEPT. Superestimulação. Esse corpo. Tentando retornar para uma configuração semi-reconhecível”, pontuou na carta.

Alanis destacou ainda que não sente que a sociedade apoie as novas mães: “Essa cultura não é criada para honrar mulheres adequadamente após o nascimento. Vejo que isso está mudando, o que é muito animador. Mas de maneira geral é desprovida da honra, da ternura, da sintonia e do senso de comunidade que o pós-parto profundamente merece […] Que possa haver um bote salva-vidas de empatia em relação às mães que suportam tudo […]”.

Esta não é a primeira vez que Morissette abre o jogo sobre a doença publicamente. Ela já tinha enfrentado a doença após o nascimento de seu filho Ever Imre, hoje com 8 anos, e da filha Onyx Solace, de 2. “Há dias em que estou debilitada a ponto de mal conseguir me mover. É muito isolante. Mal consigo decidir o que comer no jantar”, lamentou.

Como saber se sofro de depressão pós-parto?

Você pode achar que isso não é normal, mas acredite: ter depressão moderada, ou mudanças repentinas de humor, são comuns em mães novas.

Ter um bebê é estressante. Não importa o quanto você tenha esperado por isso, ou o quanto de alegria que ele traz para a sua vida. O negócio é que muitas pessoas se esquecem de considerar a privação de sono, as novas responsabilidades que vêm com essa mini-pessoinha e a falta de tempo que a mãe tem por causa disso tudo.

Então, não é uma surpresa quando nos deparamos com muitas mulheres que, durante o puerpério (primeiro mês após o parto) se sintam em uma montanha-russa emocional.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER