07.04.2020 | 10h18


VARIEDADES / ANTIPARASITA

Austrália testa remédio que mata coronavírus em 48 horas

Os cientistas observaram que uma dose única da droga Ivermectin foi capaz de combater o SARS-CoV-2.



Cientistas do mundo inteiro correm contra o tempo para achar algum remédio que possa deter a pandemia da covid-19. A Austrália descobriu que um remédio antiparasita foi capaz de matar o coronavírus em 48 horas.

Os testes foram feitos em laboratório pela Monash University. Agora faltam estudos e testes em seres humanos para comprovar a eficácia e também a segurança da droga em pacientes com covid-19.

O estudo foi liderado pela Monash University em parceria com o Doherty Institute of Infection and Immunity, e foi publicado na revista Antiviral Research, da Elsevier, no último dia 3.

Os cientistas observaram que uma dose única da droga Ivermectin foi capaz de combater o SARS-CoV-2.

“Nós descobrimos que uma dose única pode remover todo o RNA viral em 48 horas e que mesmo em 24 horas há uma redução significativa”, disse a doutora Kylie Wagstaff, que liderou o estudo.

Mas atenção!

Os cientistas alertam que, apesar do potencial de efetividade do medicamento observado em laboratório, ele ainda não pode ser usado com segurança em seres humanos infectados com o novo coronavírus, nem em casos de automedicação.

O estudo precisa ser continuado com testes clínicos e testes em humanos para concluir a efetividade da droga em doses seguras para pessoas doentes.

O remédio

Atualmente, a Ivermectin está disponível no mercado em todo o mundo.

Ele é usado no tratamento de vários tipos de infestações por parasitas como infestação por piolhos, sarna, oncocercose, estrongiloidíase, tricuríase, ascaridíase e filaríase linfática.

Em outros estudos, o Ivermectin já se mostrou eficiente contra outros vírus, como HIV, Dengue, Influenza e Zika vírus.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO