08.11.2019 | 09h51


MORDIDA E TAPA NA CARA

Audiência é adiada e advogada parte pra cima de colega

Profissional do direito saiu do Rio de Janeiro para uma agenda criminal na capital mineira e ficou insatisfeita com remarcação da sessão para o fim do mês. Ela também chamou categoria mineira de 'preguiçosa'



O Fórum Lafayette, no Bairro Barro Preto, Região Centro-Sul de Belo Horizonte, foi palco do chilique de uma advogada na tarde desta quinta-feira (7). Ela saiu do Rio de Janeiro para trabalhar em BH, onde participaria de uma audiência criminal, mas perdeu o controle com a decisão do juiz de remarcar a sessão para o fim do mês.

De acordo com o boletim de ocorrência registrado em uma unidade policial no Centro de BH, a advogada culpou outra colega, também advogada, pelo adiamento. Ela partiu pra cima da colega e tentou agredi-la com um tapa no rosto. A vítima, no entanto, conseguiu segurar o braço da suspeita.

Ainda segundo a polícia, a acusada xingou os advogados mineiros por meio de vários palavrões. Também classificou a categoria como “preguiçosa”, conforme o boletim de ocorrência.

Um segurança do fórum precisou intervir na situação. Ele disse que acompanharia a vítima até a delegacia, onde um boletim de ocorrência seria registrado.

Neste momento, a suspeita perdeu novamente o controle, segundo a PM. Ela partiu para cima da outra advogada e tentou mordê-la. Desta vez, no entanto, um funcionário da Ordem dos Advogados do Brasil interveio na situação.

“Estou chateada, porque nunca imaginei que acontecesse algo comigo assim. Quero que a OAB tome providências”, disse a advogada Tamita Rodrigues Tavares, vítima na situação.

A suspeita foi intimada a prestar depoimento na delegacia, mas, conforme o documento policial, não compareceu à unidade.

A ocorrência segue para investigação da 4ª Delegacia de Polícia Civil situada no Centro de BH.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO