01.10.2010 | 18h33


Maggi emite nota e diz que não foi conivente com escândalo dos maquinários

O ex-governador Blairo Maggi (PR), candidato ao Senado, citado em depoimento do empresário Pérsio Domingos Briante divulgado pelo Movimento Organizado pela Moralidade Pública, a ONG Moral, na manhã desta sexta-feira (01), enviou nota oficial afirmando que jamais ordenou, incentivou ou assentiu que secretários de Estado, servidores públicos, empresários ou quaisquer outras pessoas viessem a praticar atos que atentassem contra a lei, a moral e o respeito ao cidadão.

Conforme o depoimento, o empresário, proprietário da Extra Caminhões, concessionária dos veículos Ford, narrou todos os detalhes da articulação da fraude, desde como ocorreram as primeiras reuniões com os demais fornecedores que participaram do processo licitatório para a compra de máquinas e caminhões.

Segundo relatos que constam no documento, o então secretário de Estado e Infraestrutura, Vilceu Marcheti, que estaria acompanhando toda a negociação com os empresários, teria estabelecido um repasse de 5%, em dinheiro, ao governo, arrecadado para a campanha de Maggi.

NOTA OFICIAL

O candidato ao Senado Federal Blairo Maggi (PR) vem a público declarar aos veículos de comunicação e, acima de tudo, à sociedade mato-grossense, que ao longo de mais de sete anos como governador de Mato Grosso jamais ordenou, incentivou ou assentiu que secretários de Estado, servidores públicos, empresários ou quaisquer outras pessoas viessem a praticar atos que atentassem contra a lei, a moral e o respeito ao cidadão.

A lisura sempre pautou as ações do hoje candidato ao Senado, sejam elas na esfera pública ou em sua vida pessoal, como bem pode comprovar o próprio episódio envolvendo a maior aquisição de máquinas de toda a história de Mato Grosso. Ao tomar conhecimento de indícios de superfaturamento na operação, conforme já amplamente divulgado por todos os veículos da mídia local, Blairo Maggi, então governador de Mato Grosso, imediatamente tomou todas as medidas cabíveis no campo administrativo e junto ao Poder Judiciário, posicionamento compartilhado por seu sucessor no Executivo estadual, Silval Barbosa (PMDB).

O candidato ao Senado Federal Blairo Maggi reitera seu desejo máximo de que as investigações encabeçadas pelo Ministério Público e Delegacia Fazendária elucidem o mais rápido possível todos os detalhes do caso e que todos os eventuais responsáveis sejam punidos com o rigor que a lei e a sociedade mato-grossense exigem.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Enquete

ABUSO DE AUTORIDADE

Você concorda com aprovação da Lei para punir juízes?

Concordo: MP e Juízes erram muito e prejudicam pessoas de bem

Não concordo. A aprovação da lei é que é um abuso

Bolsonaro deveria vetar a lei

Bolsonaro deve sancionar a lei

  • Parcial

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER