06.06.2019 | 10h55


GUERRA EM SINOP

Um é morto com tiro na cabeça e outro baleado nas costas

Os dois crimes foram cometidos por homens em um Volkswagen Gol. Um dos casos aconteceu no mesmo bairro onde um mercado foi incendiado e um menor morto nos últimos dias.


DA REDAÇÃO

Charles Ferreira da Silva, 19 anos, foi executado com um tiro de espingarda na cabeça, no bairro Boa Esperança, em Sinop (a 500 km de Cuiabá). Horas depois, outro jovem de 19 anos, identificado pelas iniciais E. S., foi atingido por um tiro nas costas, ao ser perseguido por atiradores no bairro Sebastião de Matos I.

Os dois crimes aconteceram na noite de quarta-feira (05). Testemunhas afirmam que os assassinos, em ambos os casos, eram homens armados em um veículo Volkswagen Gol. Nenhum suspeito de ter cometido os crimes foi localizado.

Conforme noticiado pelo , na semana passada, um mercado no bairro Boa Esperança foi invadido e incendiado por bandidos, que também amarraram funcionários para cometer o crime.

Horas mais tarde, um menor foi morto com um tiro na cabeça após ser abordado e liberado pela PM na região do incêndio. O irmão do menor também foi preso na região com um comparsa, ambos estavam armados e alegaram “defesa pessoal, pois estão matando no bairro”.

No início do ano, o dono do mercado foi morto a tiros após o estabelecimento ser invadido por dois homens em uma moto.

Os episódios seguidos revelam uma verdadeira guerra, de motivações desconhecidas, vivida na região.

Todos os casos são investigados pela Polícia Civil, que apura se há relação entre os crimes.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Matéria(s) relacionada(s):

Enquete

ABUSO DE AUTORIDADE

Você concorda com aprovação da Lei para punir juízes?

Concordo: MP e Juízes erram muito e prejudicam pessoas de bem

Não concordo. A aprovação da lei é que é um abuso

Bolsonaro deveria vetar a lei

Bolsonaro deve sancionar a lei

  • Parcial

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER