05.01.2011 | 09h05


POLÍCIA

Trânsito da Capital passa a ser controlado por radares a partir de março

MIRO FERRAZ
ESPECIAL PARA O REPORTERMT

 

O Prefeito de Cuiabá, Francisco Belo Galindo, anunciou a instalação de radares e lombadas eletrônicas na Capital, para conter a violência cada vez maior no trânsito da cidade. Os aparelhos, 40 no total,  devem estar funcionando em março.

O projeto faz parte do pacote de obras de mobilidade urbana e segurança pública que está sendo preparado para a Copa do Mundo de 2014. Os radares vão auxiliar os agentes de trânsito na fiscalização. A cidade conta hoje com apenas 70 agentes (amarelinhos), O ideal seria 300 trabalhando simultaneamente, segundo pesquisa sobre segurança de tráfego conduzida pelo Departamento Nacional de Trânsito (Denatran).

Assim sendo, a cidade deveria contar com pelo menos 600 agentes, divididos em dois turnos. De acordo com dados do Departamento Estadual de Trânsito, Detran-MT, Cuiabá possui frota de quase 300 mil veículos cadastrados. Isso sem levar em conta os chamados flutuantes, ou seja, circulantes na cidade com placas de outros municípios. Questionado sobre melhor fiscalização, Chico Galindo concordou que deve haver, mas lembrou que em lugares onde existem radares o índice de acidentes foi drasticamente reduzido.

 “O número de amarelinhos hoje é insuficiente para controlar a estupidez de grande parte dos motoristas que circulam pela Capital, cujo trânsito mata por ano, cerca de 200 pessoas e deixa outras 3 mil com alguma seqüela”, diz o diretor de Habilitação do Detran-MT, Eugênio Destri.

O edital da concorrência pública para locação e manutenção dos equipamentos será lançado ainda este mês, segundo o secretário Municipal de Trânsito e Transportes Urbanos, Edivá Alves. A expectativa é que todo o processo licitatório seja concluído nos próximos 2 meses, tempo suficiente para instalação dentro do prazo.

Os equipamentos estarão em maior número nas avenidas: CPA, das Torres, Fernando Corrêa da Costa e Arquimedes Pereira Lima (Moinho).

Cuiabá e Boa Vista (RR) são as únicas capitais de estado que não possuem o sistema eletrônico de fiscalização, curiosamente as duas possuem índices africanos de violência no trânsito, com cerca de 30 mortes por cada grupo de 100 mil pessoas, segundo dados da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet). Em São Paulo, o número é de 11 e em Salvador, apenas 09.

"Eu sou a favor da educação, e os radares são uma forma de educar. Acho que é uma forma espetacular de evitar acidentes, mesmo sendo impopular. O objetivo é salvar vidas", afirmou o prefeito.

A forma de pagamento da empresa vencedora será diferente a adotada no passado, quando era pago um valor sobre o percentual de multas aplicadas. Desta cez, o projeto prevê pagamento fixo, sem vínculo com multas.

O secretário Edvá Alves explica que o instalação passará por 3 estágios. No primeiro, será feito trabalho educativo, no qual o condutor receberá apenas a notificação por 2 meses. Em seguida, as infrações vão gerar pontos na carteira pelo mesmo período. Depois das 2 etapas, acontecem a pontuação e o pagamento de multas.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO