16.08.2019 | 08h58


ATROPELOU E MATOU MENINO

Testemunhas dizem que blogueira fugiu sem prestar socorro e foi resgatada por militar

O suposto “resgate” de Campos de “ameaças” dos populares, foi feito por um homem que se identificou como militar de acordo com relatos das testemunhas.


DA REDAÇÃO

Duas testemunhas, que tiveram a identidade preservada, prestaram depoimento sobre a morte do pequeno Daniel Augusto Silva, de 3 anos, atropelado pela digital influencer e esposa do ex-deputado Adilton Sachetti, Lidiane Campos, no último domingo (11), em Rondonópolis (212 km de Cuiabá).

Na delegacia, as testemunhas disseram que a blogueira estava em alta velocidade e fugiu imediatamente após bater na motocicleta, que estava Daniel, o pai Marcos, e a madrasta Dayane.

O advogado da mãe biológica de Daniel, Ronaldo Bezerra, confirma essas informações. Segundo ele, o “resgate” de Campos, por supostas “ameaças” de populares, foi feito por um homem que se identificou como militar, afirmaram testemunhas.

“Você acha que uma pessoa que está prestando socorro em um acidente será agredida?”, questiona Ronaldo.

“As pessoas falavam para ela: você tem que voltar, você tem que prestar socorro, não pode fugir. Nesse momento, apareceu um carro preto e a pessoa se identificou como militar e retirou a Lidiane. As pessoas até acharam que iria levar ela para a delegacia e fazer o exame toxicológico para saber se estava alcoolizada ou não, mas, na verdade ela foi levada para casa”, conta o advogado que teve acesso aos depoimentos.

Lidiane atropelou a família num cruzamento, entre a rua XV de Novembro e Avenida Tiradentes, na região central, com sua Toyota Hilux. A criança estava entre o casal, sem capacete. Ele não resistiu aos ferimentos e morreu logo depois. A versão de Lidiane é de que ela tentou frear, mas não conseguiu. A influencer negou ter fugido do local e argumentou ter sido ameaçada por populares.

No entanto, testemunhas que presenciaram o momento do acidente começam a prestar depoimentos e relatam que ela não foi ameaçada e simplesmente não prestou socorro às vítimas. A blogueira não teria freado o seu carro ao atravessar a preferencial, depois manobrou o veículo e fugiu pela contramão.

“Você acha que uma pessoa que está prestando socorro em um acidente será agredida?”, questiona Ronaldo.

As declarações serão anexadas ao inquérito sobre o caso, que é conduzido pela Delegacia Especializada em Delitos de Trânsito (Deletran).

Lidiane Campos tem negado que ela tenha fugido do local para não prestar socorro. A defesa da esposa do ex-deputado alega que ela foi ameaçada, por isso foi tirada do local por um desconhecido.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER