11.05.2019 | 07h55


CASO SCHEIFER

Tenente do Bope foi confundido com bandido em mata escura, diz desembargador

Orlando Perri declarou que na época da perícia ficou verificado que não dava para enxergar nada devido a escuridão da noite e o tiro que matou Carlos Henrique Scheifer foi acidental.


DA REDAÇÃO

O desembargador Orlando Perri, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), afirmou que, no seu entendimento, o tenente do Batalhão de Operações Especiais (Bope), Carlos Henrique Scheifer, foi morto com tiro de outro policial após ter sido confundido com um dos criminosos no meio da mata escura.

O entendimento ocorreu durante julgamento que resultou na soltura dos policiais do Bope Lucélio Gomes Jacinto, Joailton Lopes de Amorim e Werney Cavalcante Jovino, na última terça-feira (07). O trio estava preso desde 13 de março, acusados pelo Ministério Público Estadual (MPE) de terem assassinado o comandante Scheifer para não serem denunciados à Corregedoria-Geral da Polícia Militar pelo registro de um boletim de ocorrência com informações falsas.

“Somente após a balística descortinar que o disparo, que atingira mortalmente o tenente Scheifer ter saído da arma de fogo portada pelo denunciado cabo da PM Jacinto, que então mudando a versão de outrora, ele alegou ter se equivocado da pessoa do tenente Scheifer com a do suspeito”, afirmava a denúncia do MPE.

Os três policiais estavam sob o comando do tenente Scheifer, à procura de uma quadrilha do novo cangaço que havia assaltado um banco na cidade de Matupá (696 km de Cuiabá).

De acordo com a perícia, o tiro que matou Scheifer saiu da arma de Jacinto, quando a equipe já estava há 40 minutos escondida na mata, após ter ouvido barulho, supostamente de bandidos.

Conforme o desembargador Orlando Perri, a perícia constatou durante reconstituição que não era possível reconhecer uma pessoa a mais de 3 metros de distância no local e hora do fato. E que Jacinto viu apenas um vulto no mata e atirou pensando ser um assaltante.

"Cheguei à conclusão de que a morte do tenente foi um lamentável acidente. Todas as circunstâncias convergem para esse sentido", disse Perri.

O desembargador também destacou que os policias fizeram tudo que podiam para salvar o tenente, mas não conseguiram.

Assista o julgamento a partir no minuto 14h37.

O que pesou sobre os policiais foram três pontos: A falsa  versão de que o tiro foi dado por um bandido não encontrado. Sendo que a balística comprovou que o disparo saiu da arma de um dos militares. Uma conversa entre Jacinto e outro policial, após a morte de criminoso em confronto, onde Jacinto pergunta se o outro policial acha o comando do Scheifer muito legalista e, por último, o fato dos três se reunirem em uma sala de hospital sozinhos, sem a presença de outros policiais, após a confirmação da morte do tenente.

Entenda

Inicialmente, o cabo Jacinto, o sargento Amorim e o soldado Jovino afirmaram que Scheifer foi morto por um bandido, durante confronto na mata. Eles estavam em busca de uma quadrilha do novo cangaço, que havia assaltado um banco em Matupá.

No entanto, o exame da balística comprovou que os disparo que atingiu o tenente do Bope partiu do fuzil do cabo Jacinto. A partir disso, o PM mudou a sua versão e disse que o tiro foi acidental, na tentativa de acertar os bandidos. O tenente Scheifer foi atingido por disparo de arma de fogo na região abdominal. Inicialmente, os colegas de farda sustentaram que a vítima havia sido atingida por disparo efetuado por suspeito não identificado, que estaria em meio à mata. Após a realização do laudo pericial ficou comprovado que o projétil alojado no corpo do tenente partiu de um fuzil do cabo Lucélio Gomes Jacinto.

“Somente após a balística descortinar que o disparo, que atingira mortalmente o tenente Scheifer ter saído da arma de fogo portada pelo denunciado cabo da PM Jacinto, que então mudando a versão de outrora, ele alegou ter se equivocado da pessoa do tenente Scheifer com a do suspeito”, afirmava a denúncia do MPE.

Leia mais

Justiça manda soltar acusados e diz que tenente do Bope foi morto por acidente

Tenente do Bope iria denunciar policiais e foi morto por colegas de farda

Tenente Schefer teria sido morto para não abrir inquérito contra PMs; Coronel descarta confronto com bandidos 











(2) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Lu Kuyabana  12.05.19 06h12
COMO ASSIM?!?!?! ESTÃO FALANDO É DO BOPE . NÃO É DO TIO DA ESCOLA QUE TEM CATARATAS E NO ESCURO FICA DIFÍCIL A VISÃO.. *""""" B O P E """""" ☠️

Responder

4
0
Tonto  11.05.19 23h35
Quem conhece sabe.!!!

Responder

3
0
Matéria(s) relacionada(s):

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER