01.09.2010 | 11h42


POLÍCIA

SINOP: preso enfermeiro que se passava por médico em União do Sul

DHIEGO MAIA
DIÁRIO DE CUIABÁ

Está preso em Sinop (500 km ao Norte de Cuiabá) um enfermeiro que se passava por médico e iria atuar como clínico geral nos postos de saúde da cidade de União do Sul (719 km ao Norte da Capital).

Preso na tarde de ontem, quando desembarcava no aeroporto da cidade, o suspeito, identificado como Bruno da Silva Neves Ferreira, 28, apresentou documentos falsos do Conselho Regional de Medicina do Rio de Janeiro (CRM-RJ) e diploma de médico aos policiais.

O acusado foi preso em flagrante por falsidade ideológica, uso de documentação falsa e exercício ilegal da medicina. Ele foi interrogado e encaminhado ao Presídio Ferrugem. Com o fim do inquérito, o suspeito pode vir a ficar preso por até seis anos.

As investigações começaram desde o momento em que Bruno se candidatou à vaga em União do Sul. Com salário atrativo, pouco mais de R$ 14 mil, o enfermeiro enviou documentação à Secretaria de Saúde do município, que investigou os antecedentes profissionais do falso médico.

Em entrevista ao Diário, o médico responsável pela seleção dos candidatos, Edivaldo Antônio Machado, informou que desde o início da verificação da documentação houve distorções.

"Nós percebemos que o CRM que ele tinha não tinha o sobrenome Neves. Ligamos para a Universidade onde ele se formou (Vassouras - RJ) e verificamos que ele era graduado em Enfermagem e não em Medicina", revela. O falso médico apenas mudou o nome do curso da graduação de Enfermagem para Medicina no diploma vindo a atuar de forma criminosa.

A partir daí, Machado acionou a polícia para efetuar a prisão do suspeito. O verdadeiro médico Bruno Neves atua na profissão no Rio de Janeiro e confirmou a fraude à polícia.

O falso médico chegou a atuar no município mineiro de Pedra Azul por dois anos. De acordo com informações do delegado responsável pelo caso, Luiz Henrique de Oliveira, o inquérito instaurado em Mato Grosso será encaminhado a Minas Gerais, onde o suspeito responderá pelos mesmos crimes.

Perigo

Toda semana dão entrada no Conselho Regional de Medicina de Mato Grosso (CRM) processos que apuram a autenticidade de carimbos de supostos médicos em atestados para aposentadorias e afastamento de trabalho. Até hoje a Polícia Civil procura um homem que passou por neurocirurgião em Primavera do Leste há dez anos.

Na época, uma mulher morreu na mesa de cirurgia. Quem suspeitar das atitudes de qualquer profissional deve ligar para o disque-denúncia, no número 181, ou ao CRM pelos telefones (65) 3644-1094/ 1095.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO